segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

"Quem está em primeiro? Não estou a perceber..."



A vida de Jesus tem destas coisas: abre a boca e raramente a coisa resulta como o desejado. Depois da derrota em Guimarães, notoriamente irritado e com o fair play habitual, Jorge, o Jesus do vídeo, ironizou em resposta à pergunta do jornalista (sobre a "posição delicada" em que ficaria o SLB depois daquele resultado), dizendo que "a grande preocupação é dos outros, não é do Benfica".

Pois bem, depois de mais uma "barraca" da super-equipa dos Coisinhos, agora a preocupação é de quem? O único órgão de informação (?1) onde o Benfica ainda surge em primeiro lugar da classificação é o jornal Record... Numa coisa o estratega da chiclete tinha razão: quando refere que eles perderam pontos ali e que os rivais perderam e perderão pontos noutros campos.

Nota final: voltamos a dar 45 minutos de descanso a um adversário que, apesar do empenho, tem uma equipa fraquinha e que deveríamos golear. Aparentemente, ninguém aprendeu nada com os 2 pontos que perdemos na primeira volta. Estarão perdoados se voltarem a "apagar" a Luz - nunca uma equipa do Porto tão mal orientada e a jogar tão mediocremente esteve tão perto de ser campeã.

9 comentários:

dragaovenenoso disse...

É isso mesmo, Pôncio. Ainda estamos muito longe do final do campeonato, mas se o ganharmos, aquela frase "...qualquer treinador, no FCPorto, arrisca-se a ser campeão..." assumirá uma nova dimensão.

Neste momento tanto podemos ser campeões como terceiros classificados. É bom que o treinador não se esqueça disso.

reine margot disse...

"nunca uma equipa do Porto tão mal orientada e a jogar tão mediocremente esteve tão perto de ser campeã."
Um exagerozinho, não?
Primeiro, é um contra-senso. Se é a pior das más, não deveria estar perto de ser campeã. Qualquer coisa não bate certo aí.
Segue ainda que as outras equipes todas evoluiram. Toda a gente diz que o nosso campeonato não é competitivo, mas quando os grandes perdem pontos com os pequenos, e assim se aproximam mais as equipes, vem-se com a conversa que os grandes é que estão pior, e lá cai o carmo e a trindade!...
Depois, o que tem acontecido à equipe é que tem oscilado mais do que o costume. Até no ano passado fizemos alguns jogos muito mauzinhos, só que tínhamos o Falcao e o Hulk em grande, e as coisas iam-se compondo...
(por alguma razão o guardiola vem dizer que o falcao é o melhor ponta de lança da atualidade)...

agora é altura de cerrar fileiras, não de serrar fileiras!

André Pinto disse...

Este tipo é ranço puro. E ainda corremos o risco de o vir a ter um dia sentado no banco o FCP! Nããããão!

A lista de práticas de jogo sujo nas equipas de Jorge Jesus já vai longa. Mas tenho um especial carinho pela forma com que se inventam lesões, indisposições, afecções e outros mentirões, para ganharem vantagem antes das partidas. Pelos vistos, em Espanha já lhe tiraram as medidas de azeiteiro e o Rodriguinho vai ter mesmo de comparecer à chamada.

E para quem acha que a impunidade de Javi Garcia é um mero detalhe, veja-se a diferença no Benfica quando este grunho não joga. É que à porrada, não há equipa adversária, nem estratégia, nem ataque organizado que resistam.... Assim também eu! O estilo de jogo à Jorge Jesus é tacticamente bronco, engendrado em qualquer toalha de papel tasqueira: grande correria, equipa toda balanceada para diante, ficando defensivamente exposta a mortíferos contra-ataques em caso de perda de bola no ataque. É necessário um médio defensivo de grande acção, que corte imediatamente a transições contrárias. Como os desiquílibrios posicionais são grandes - está tudo comprimido nos últimos 30,40 metros - esse médio tem de recorrer frequentemente à falta rude, ao cacete e ao puxão. Daí a aquisição de Witsel, cujo apoio alivia Garcia relativamente área que tem a seu cargo. Adicionalmente, Aimar fica completamente liberto de funções defensivas, durando mais os seus joelhinhos em pré-reforma. Mas depois há o factor físico. Tanto ataque contínuo e recuperação ao sprint cansam muito em qualquer pelada domingueira. Já nem falo numa competição profissional de regularidade. Por isso se reforçou tanto o Benfica no passado defeso: Jesus terá facilmente chegado à conclusão que a única forma de manter o fôlego da equipa, neste estilo animal, era ter muitos fósforos para queimar. Só que, por muito bom que seja o plantel, é virtualmente impossível fazer uma rotação de jogadores nesse estilo de jogo sem que se verifiquem oscilações de intensidade, equívocos tácticos e as fífias começam a aparecer. É jogar sobre brasas, num estilo que a mim me recorda um pouco o lunático Adriaanse, em cuja equipa o Javi de serviço se chamava Pepe, esse abono defensivo da família.
Em suma, é bom para provocar a fácil propensão dos benfiquistas para o priapísmo e a ejaculação precoce, até pode ser suficiente para ganhar o nacional em anos maus do FCP, mas é nitidamente insustentável para quem pretende ser uma grande equipa.

André Pinto disse...

Reine Margot:

Enganas-te num ponto fundamental. Nos jogos fraquinhos que fizemos na época passada não tivemos Hulk e Falcão simultaneamente. Esses jogos foram fracos porque Falcão esteve lesionado e Hulk foi adaptado a ponta-de-lança.

Estar a lutar pelo título e jogar mal não é um contrasenso, porque não competimos sozinho. És portista e devias saber que, por exemplo, o Benfica foi campeão em 2004/2005 com menos pontos que os conquistados na época anterior, em que tinha ficado a 11 pontos do FCP. Num campeonato fraquinho, o menos mau ganha. A tua afirmação pretende desviar a atenção de que só estamos na luta pelo título porque o SLBosta deitou fora uma margem de 5 pontos em duas semanas. Não dependíamos de nós, mas sim da capacidade do Benfica em manter a qualidade do seu jogo.

Agora, começa tudo de novo, com um confronto directo já na sexta e uma versão compacta do campeonato se seguirá. Não acredito que o jogo da Luz venha a ser decisivo, ou pelo menos mais do que os seguintes. Ambas as equipas terão jogos difíceis até ao fim do campeonato, e não ponho as minhas mãos no fogo pela regularidade de qualquer uma delas. Por exemplo, parece-me bem mais complicado o jogo em Braga do que na Luz.

miguel87 disse...

André Pinto, brilhante analise ao estilo de jogo do benfas, muito bem visto!

Pôncio "nunca uma equipa do Porto tão mal orientada e a jogar tão mediocremente esteve tão perto de ser campeã."
Sinceramente, eu vi o Porto do Prof Jesualdo jogar um futebol tão miseravel num estilo que não se coaduna com o nivel que o clube nos habituou há mais de 2 décadas, simplesmente nas primeiras 3 épocas desse senhor não havia concorrencia à altura e na 4ª e última época, sem Lucho & Licha, as artimanhas do tunel, o futebol trauliteiro do benfas e o bem organizado do Braga colocaram o pobre futebol das transições e equipa em construção do Jesualdo no 3º lugar.

Se este ano, por esta altura, não estamos isolados no comando há razões inequivocas para isso: jogos do porto em Olhão e Barcelos, jogos do benfas com o Guimarães na luz e os 2 jogos com o Feirense...

Mais, este ano em que perdemos Falcao (ainda este fim de semana apelidado por Guardiola como o melhor ponta de lança de area do mundo) vamos na 20ª jornada em 1º lugar em igualdade pontual.
Em 2009/10 sem Lucho e Licha estavamos em 3º lugar e a 6 pontos do primeiro!

dragaovenenoso disse...

há um pequenino pormenor que é de realçar, meus caros: enquanto que o Jesualdo refazia as equipas de um ano para o outro porque vendiam jogadores importantes, o VP tem a equipa toda da época anterior, que co-orientou, à excepção do Falcão. Portanto, está mais ou menos em pé de igualdade. O que ninguém compreende é como a equipa rende tão pouco sendo praticamente a mesma. Mais: gastou-se uma pipa de massa em jogadores que podem vir a confirmar-se como muito bons. Onde andam? Lá vão aparecendo aos pouquinhos, envergonhadamente. Mentalizem-se que o treinador é mesmo fraco. E qual será a impressão que um jogador que ganha uma pipa de massa terá quando lhe dizem que o adjunto veio de um grande clube, o Penafiel? Muitos deles nem sabem onde fica. Bah!

miguel87 disse...

dragaovenenoso, para mim também há um pormenor muito importante: há jogadores importantes e há jogadores fundamentais. E a peça fundamental desta equipa era o Falcao, da mesma maneira que a peça fundamental das equipas de Jesualdo era o Lucho!

André Pinto disse...

Dragão, o que dizes de VP é a mais pura das verdades. Mas, apesar de o plantel herdado ter sido praticamente o mesmo, VP caiu na tentação de inventar e chegámos ao fim da 1ª volta com um 11 titular muito diferente do de Villas Boas. Já aqui tinha escrito que Falcão, Guarín, Sapunaru, Belluschi, Varela (na altura encostado) eram metade da equipa titular modificada. Se excluírmos o caso óbvio de Falcão, não preciso de sublinhar a importância que Guarín e Varela tiveram no FCP de 2010/2011.... Mesmo Belluschi foi preponderante na 1ª volta da época passada.
Com este tipo a timoneiro, deixaram de prestar. Só vejo 3 jogadores em crescendo na actual edição do FCP: Maicon, Fernando e Moutinho. Maicon pela exigência de maturidade que as adaptações lhe impuseram, Fernando porque é um génio e Moutinho porque, além de ser bom jogador, tem um Fernando ao lado. O resto está francamente pior.

Ainda assim, como muito bem escreve o Poncio, pode chegar para ganhar o presente campeonato. Com uma equipa a jogar um futebol quase tão sensaborão e limitado como o de certa equipa de Trappatoni, em 2004/2005!

Miguel disse...

Dou razão a todos. Mas esta semana não é para "discutirmos" se chega o campeonato, se hove piores treinadores ou se se acertou ou não nas contratações. Esta semana é para nos unirmos e espetarmos uma cabazada das antigas aos encornados! Deixa-me (e penso que a todos....) triplamente feliz; O Porto ganha, os encornados perdem, os encornados reduzem-se á sua insignificância lutando pelo 3º lugar...
Vamos lá outra vez apagar a luz na Luz!...