quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Reset

O que é improvável não é impossível
Hoje começo onde terminei ontem: é improvável que venhamos a conseguir atingir a final do Jamor. Não porque seja muito difícil vencer o SLB na Luz do mesmo modo que eles venceram o jogo de ontem, mas sobretudo porque a eliminatória começou ontem, com um 0-0 que permitia ao JJ sonhar com um hipotético empate no Dragão como meio satisfatório de ganhar a eliminatória em sua casa. AVB não vai poder fazer o mesmo: o Porto, se efectivamente quiser chegar ao Jamor este ano, terá que arriscar e muito, não poderá jogar no erro dos vermelhos. E isto faz toda a diferença. É impossível? Claro que não - jogando aquilo que já jogamos esta época poderemos bater qualquer equipa de topo europeu e o SLB nem sequer pertence a essa estirpe.

Cada um acredita no que quer
A imprensa de hoje reflecte aquela histeria colectiva habitual em torno do Benfica sempre que este consegue uma vitória com significado. JJ voltou a ser o maior estratega do mundo, o AVB é o miúdo que "levou um banho de táctica" e a tribo vermelha exulta com as palavras sábias dos seus heróis argentinos e espanhóis que vão debitando banalidades em torno da "criação de instabilidade na equipa do Porto", como se o jogo de ontem tivesse contribuído de algum modo para o encurtar da distância que os separa de nós na classificação da Liga Portuguesa. Para aqueles benfiquistas que ainda não fizeram as contas, aqui fica um resumo: vencer uma diferença de 8 pontos (ou seja, mesmo assumindo que vão vencer o SCP, coisa que está longe de ser um dado adquirido) corresponde a esperar que o Porto perca 3 dos 13 jogos jogos que faltam disputar... e que o SLB não perca sequer um pontinho! Na realidade, o resultado prático dos 5-0 é que são absolutamente inultrapassáveis, porque do mesmo modo que é improvável que o Porto vença na Luz para a taça por 3-0, é ainda menos provável que perca por 5 ou 6 para o campeonato, não é? E lá sobra mais um pontinho da "vantagem directa". Perceberam agora?

Mexericos, amuos e ilusões
Para alargar o efeito da moralizadora vitória no Dragão (baseados no wishful thinking de que os 5-0 foram um acaso do destino e estes 0-2 é que valem), tenta-se agora transformar a (normal) frustração de um jogador que ficou de fora (Fucile) numcaso de (in)disciplina ou rebelião face ao treinador. Obviamente, de fora e sem saber o que efectivamente se passou no "grupo de trabalho" ou qual tem sido o comportamento do uruguaio nos treinos, parece-me evidente que mesmo com todas as paragens cerebrais que o têm vindo a caracterizar nos últimos tempos, Fucile era, em teoria, a melhor opção para, na ausência dos dois laterais lesionados, preencher o lugar. Em teoria, disse eu, porque também não me parece que tenha sido por aí que o Porto perdeu o jogo de ontem.

Em suma: foi mau perder mais uma oportunidade de sublinhar o facto da actual equipa do Porto ser superior à actual equipa do SLB. Foi ainda pior por ter acontecido no Dragão. E será ainda mais gravoso se, como disse, se revelar impossível recuperar esta desvantagem no jogo da Luz. Mas nada disso muda o destino deste Benfica, tal como o nosso 3-1 de Maio nada mudou então: a UEFA não está ao seu alcance e o campeonato é uma miragem somente realizável com manobras em túneis e secretarias. Relembrem isto quando chegar o mês de Junho: vão acabar a época em segundo lugar, a mais de 8 pontos do Porto campeão e, quando muito, vencerão esse troféu fantástico que é a Taça da Liga e serão "campeões da Taça" como foram na época denominados quando Camacho bateu Mourinho.

7 comentários:

Luis disse...

Estou-me a cagar para a imprensa!
Entrámos numa batalha a dar o flanco,sem gente para o ataque,estava na bancada vip a ver o jogo.
O comer e o coçar,vai do começar.
Má estratégia e espero que tenha servido de lição.
Em casa e fora,o PORTO tem que jogar para ganhar.O resto são como diria o "bitaites", fait divers!

portodocrime disse...

mai nada
é para chegar lá e marcar 2.
Prontos.
Abraço

penta1975 disse...

@ Pôncio

quem escreve assim não é (de todo) gago!
'da-se!! post muito bom!.excelente!, mesmo.

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs!

Tomo I

Joao disse...

só não entendo a questão Walter.

não teria sido muito mais lógico apostar no tridente Hulk, Walter e Varela?

o Maicon têm falhado nos jogos importantes e com influência directa no resultado (entre erros primários e expulsões...).

e não temos entre jogadores sub-21 e emprestados um defesa esquerdo e um ponta de lança capazes de pelo menos preencherem o banco de suplentes? (entre os 50 e tal jogadores sobre contracto)

reine margot disse...

Concordo inteiramente com o post( aliás, mais uma vez muito bem escrito) por isso, não me chateou perder, porque a equipe do Porto é superior à do Benfica e não o era no ano passado... Factos.
Vamos ver o que o Benfica faz na Europa, e depois falámos. Não me pareceu que fosse má estratégia. Pareceu-me que as opções foram claras; o Porto entrou forte , amealhou os 8 pontos de avanço, e agora entre as muitas provas escolhe algumas... nós é que achámos que com duas pinceladas o avb poderia fazer um milagre.
dêem-lhe tempo.

André Pinto disse...

Raínha Margot:

Perder para o Benfica, ainda para mais no Dragão, chateia sempre qualquer portista. Mas o que mais me incomoda nesta derrota não são as opções de Villas Boas - bem tomadas - nem os falhanços de Maicon, ou a palhaçada constante que é o Helton. O pior, para mim, foi a atitude amorfa da equipa; parecia o Porto de 2004/2005. Quando uma equipa tem limitações como aquelas que agora enfrentamos, tem de puxar de atitude guerreira, e o que vi foi exactamente o contrário. Como não gosto de partir do princípio que decidimos jogar a meio-gás em casa, contra o maior rival e numa eliminatória a duas mãos, a outra possibilidade que resta para justificar uma actuação tão díspare das anteriores é o desgaste físico do meio-campo.

Ainda que se dê menor importância à Taça de Oeiras, isso tem de se limitar às opções de gestão do treinador. Em campo, o meu e o vosso Porto, entra sempre para dominar e vencer os adversários. Esta derrota doeu-me como poucas, porque durante esta época, com a equipa a jogar tão bem, com um treinador a dar mostras de talento, não havia necessidade de entregar um jogo ao Benfica, na nossa própria casa, depois de um banho de 5-0. Não havia mesmo necessidade. Se não foi isso, estoirámos, e Deus nos ajude até ao final da época.

miguel_canada disse...

Outro dia li uma coisa interessante e verdadeira.
O actual bloco defensivo Portista está a anos luz da qualidade patenteada do meio campo para a frente.
O Sapunaru, o Fucile e o Rolando são jeitosinhos.
O Maicon e o Sereno são uma valente merda.
O Emídio Rafael é esforçado e vai a caminho de ser bom...um dia.
O Álvaro e o Otamendi são os únicos relativamente acima da media mas o Argentino só tem 1,80.

Numa altura em que se fala bastante na necessidade de mais um avançado, eu creio que a grande prioridade da SAD deveria ser o de construir uma nova defesa com o mesmo nível de outras que tivemos num passado recente.
Precisamos de dois centrais de qualidade indiscutível e de um lateral direito muito melhor do que o Sapunaru e outras alternativas para a frente.
Na minha opinião são 7 os jogadores que precisamos.

Relativamente à posição 6, creio que o Fernando já não passa daquilo, que já atingiu o limite da sua capacidade. Precisamos de outro Costinha.

No meio campo mais ofensivo falta-nos uma alternativa credível ao Belluschi. Um 10 de raiz, um verdadeiro play-maker... um Deco.

Nas alas temos gente a mais e qualidade a menos.
Christian Rodriguez e Mariano chegaram ao fim da linha. Não vejo qualquer utilidade para estes dois e o James, talvez lhe fizesse bem um aninho de Braga ou de Nacional da Madeira.

O Varela tem-me decepcionado imenso. Acumula exibições deploráveis atrás das outras e arrepia-me não haver uma alternativa credível já que James ainda é muito verde.

Resumindo, há duas ou três posições no plantel
que tem de ser acrescidas de qualidade para que o 11 seja mais equilibrado e o banco mais útil.

Eu dispensaria:
Kieszek, Cebola, Mariano, Fucile, Sereno e Souza.

Emprestaria:
Maicon e James

Re-formatava:

GR: Helton, Beto e Ventura
LD:(Aquisição) e Sapunaru
LE: Álvaro e Rafa
DC: (Aquisição),(Aquisição), Rolando e Otamendi
MD: (Aquisição) e Fernando
MC: Moutinho, Rúben e Guarin
MO: (Aquisição) e Belluschi
EE: Varela e (James)
ED: Hulk, (Aquisição)
AV: Falcao, Walter, (aquisição).

Era bom que a vida real fosse um bocadinho como o FM, não era?