terça-feira, 28 de setembro de 2010

O Lobo deixou cair a pele de cordeiro?

Ontem tropecei por acaso no Jogo Jogado, da TSF, que conta com os comentários de Luís Freitas Lobo e João Rosado, moderados por Mário Fernando.
De João Rosado ficou a pérola de que o FC Porto, não tendo de jogar a Liga dos Campeões, é uma "equipa mais descansada". Recorreu à comparação com o facto de o Braga, no ano passado, ter sido eliminado das competições europeias e, por isso, ter feito um grande campeonato. Tudo a ver com o FC Porto, com certeza! Diz ele que este ano "há apenas a Liga Europa" e não há a necessidade de dividir argumentos entre o campeonato e a Liga dos Campeões, por isso o FC Porto é a tal equipa mais descansada. Sim, só dá para rir, sr. João Rosado.
Mas mais graves e sérias, isto porque vindas de um suposto amante da táctica e do futebol jogado nas quatros linhas, foram as declarações de Luís Freitas Lobo. Deixo-vos a transcrição de grande parte delas e cada um que tire as suas conclusões. Eu tiro as minhas.

"Neste momento, sim, a equipa teve um bom início do ponto de vista pontual, não tanto do ponto de vista exibicional. O próprio André Villas Boas já referiu o primeiro jogo com a Naval como o jogo menos conseguido do Porto... O Porto ganha perto do fim, num lance muito infantil de um defesa da Naval... para não lhe chamar outra coisa... que dá um penalti.
Agora, a verdade é que a equipa teve um calendário mais sereno, tirando o jogo com o Braga - de facto, foi um grande jogo - mas teve um campeonato que lhe permitiu ter este embalo, que lhe pode permitir agora seis jornadas a ganhar consecutivas. Na época passada, o Braga também o conseguiu, e nem por isso foi campeão.
Agora, são coisas diferentes, como é evidente. Percebe-se que este Porto tem outro estatuto, outra força, tem outras bases. Foi construído em cima de outro barro, dentro e fora do relvado. Penso que esta época toda a estrutura do Porto esteve mais atenta a todos os poderes que envolvem o futebol português, e de facto a equipa está de outra forma, a estrutura está de outra forma, os jogos correm de outra forma. A equipa dentro do campo tem um comportamento táctico muito seguro."

As minhas observações a estas declarações:
1. A azia do senhor perante a vitória na Naval. A forma como qualifica o penalti provocado pelo jogador da Naval. E a intencional omissão das boas exibições posteriores que têm vindo em crescendo.
2. A justificação da nossa série de vitórias por um "calendário mais sereno", mas o aviso de que o Braga fez o mesmo e não foi campeão. Expressão de algum desejo para esta época?
3. A insinuação de que, nesta época, o nosso sucesso está alicerçado em situações menos claras com a afirmação "esta época toda a estrutura do Porto esteve mais atenta a todos os poderes que envolvem o futebol português" é inadmissível e deveria originar uma acção decidida do nosso departamento jurídico. Ainda dou de barato aquele "dentro e fora do relvado" (pode estar a referir-se ao trabalho realizado nas contratações), mas esta frase deve ser alvo de repúdio em todo os nossos canais oficiais e não só.

Para ouvir o programa (e a parte que interessa, a partir do minuto 23), clicar aqui. É curioso verificar a diferença entre o tom de voz com que fala do FC Porto - podia estar num velório - e que utiliza para falar dos outros assuntos.

7 comentários:

Luis disse...

Mais um que tem que agradar ao benfiquista de Paredes.
Se assim não fizer,perde o tacho.
Quanta mais azia desta gente, melhor para nós.É sinal que estamos a vencer,e isso mete-lhes confusão.

P. Ungaro disse...

é mais do mesmo ... mas estava a reflectir e acho que isto é bom, se tivessemos a CS social, comentadores, jornaleiros, paineleiros do nosso lado poderiamos cair no erro de perder a concentração e acharmos que ja tinhamos vencido todas as provas em que participamos (1 ja ca canta).

Posto isto agradeço a essa "gentinha" que continue assim, isto só nos torna mais fortes e determinados.

Um abraço

http://www.fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/

Nuno Ferreira disse...

Boa tarde a todos.
Este mesmo Senhor, num célebre Paços de Ferreira-Porto da época 2008-2009, limitou-se a tratar o FC Porto como um clube estrangeiro. Nesse jogo Hulk sofreu uma grande penalidade indiscutível que originou o segundo golo e só à centésima décima repetição é que lá concordou que havia motivo para marcar a grande penalidade. Na parte final do jogo, Carlos Carneiro marcou um golo prontamente anulado pela equipa de arbitragem (e bem diga-se de passagem, na medida em que houve um amortecer de bola com a mão) e tanto o Sr. Luís Freitas Lobo como o Sr. Hélder Conduto não vislumbraram qualquer infracção no imediato, mas sim ao fim de infinitas repetições. Muitas vezes é preferível ouvir música clássica em vez de comentários pouco ou nada imparciais durante uma partida.
Muito estimo os comentários de Luís Freitas Lobo na RTPN mas estas declarações são um tanto ou quanto infelizes. O FC Porto não anda a deslumbrar mas está a ganhar todos os jogos com segurança. A primeira jornada é sempre a mais complicada (novo treinador, novas realidades, novos jogadores), mas apesar de tudo a vitória foi justíssima. Agora, levantar dúvidas sobre a seriedade de um profissional da Naval que merece todo o respeito e fazer menção de jogos de bastidores que contribuíram para o início de época fulgurante do FC Porto é inadmissível, ultrajante.
Neste momento o Porto respira confiança, fruto das dez vitórias consecutivas e não podemos esperar outro resultado que não a vitória tanto para amanhã como para segunda. Bem sei que não são favas contadas, mas estes jogos reveste-se de uma importância acrescida visto realizarem-se antes da pausa para as selecções. Novembro e Dezembro vão ser meses complicados e estas possíveis vitórias serviriam de tónico para enfrentar esse duro ciclo.
Força FC Porto, contra todos os comentadores aziados e jornais depravados.

flama draculae disse...

É o homem que se ofereceu, no mesmo programa, para ser director desportivo do Sporting. Se calhar ainda está com alguma azia por ter sido preterido por um ministro pimba (não confundir com o jogador que subiu na carreira a pulso). Já aqui há alguns meses, num sábado de manhã, quando a jornalista da RTPN lhe colocou uma questão acerca da influência dos castigos a Hulk e Sapunaru na distância pontal do Benfica no campeonato, o Lobo, muito indignado, respondeu que só falava de futebol de dentro das quatro linhas e que não era como outros comentadores. A partir daí, a pele de cordeiro começou a esgaçar.

Abraço

DUX XXI disse...

De Freitas Lobo concordo com algumas coisas, mas é inegável que sistematicamente tenta menosprezar o clube do norte do país. Se é a mando de alguém não sei, mas que a zia está lá... não duvidem. A inha opinião sobre Villas-Boas é esta, acrescente-se o excelente trabalho realizado na Briosa... http://xavierorkall.blogspot.com/2010/09/um-raio-de-sol-chamado-villas-boas.html

Nuno Ferreira disse...

Errata: Estes jogos revestem-se de importância acrescida e não reveste-se. É no que dá ouvir as conferências de imprensa do taxista.
Abraço a todos.

Azul disse...

o mail desse senhor é

,