domingo, 18 de outubro de 2009

Sérgio Oliveira

Hoje valeu a pena ir ao Dragão para ver Sérgio Oliveira (17 anos) jogar pela primeira vez na equipa principal do FC Porto. Nunca será uma estrela como este, ou este, ou ainda este, ou porque não estes, mas, pelo que se viu hoje, Sérgio Oliveira poderá vir a ser muito grande num futuro FCP. Assim tenha sorte e cabecinha. Da primeira, jamais saberemos o que lhe destina. Quanto à segunda, a avaliar por este vídeo, parece que temos homem.

6 comentários:

miguel_canada disse...

Confesso que fiquei muito agradado com a exibição do Sérgio Oliveira pela sua simplicidade de processos, qualidade de passe, leitura de jogo e a calma com que jogou no Dragão com alguns dos jogadores do plantel principal.
Serviu Hulk na perfeição numa boa dezena de passes. Fantástico.

João Ribas disse...

Sem palavras...
Há 3 Épocas atrás, em pleno Olival com o Coordenador de Prospecção do Benfica (sim... lol), fui ver um FC Porto - Benfica em Iniciados, a fim de ver o Amorim, que segundo ele era "o fim do mundo".
Ao fim de 30' de jogo, perguntei-lhe quem era o Nº6, ao que ele me disse ser "o Sérgio, igualmente Internacional, apesar de não ser tão bom". Disse-lhe que para mim era, de longe, o melhor que ali estava, até pela Maturidade que apresentava em relação aos outros Jogadores. Ele estava a jogar a Trinco, de frente para o jogo e todas as Transições passavam por ele. Poucos Dribles fazia, mas ao invés, fazia a Equipa progredir no terreno pela verticalidade do seu jogo e das soluções que os colegas que davam. Dominava e passava a bola com simplicidade. Tudo parecia fácil, mas essa é a virtude dos bons jogadores.

Um ano depois, o Coordenador dizia-me que naquela Época ele não iria calçar, pois seria Juvenil de 1º ano e teria de ser substituto do Ramon, um Espanhol da Formação do nosso Clube. Ao fim de 6/8 jogos já o Sérgio era sempre Titular, jogando ao lado de Ramon...

Na época seguinte, o ano passado claro, o Sérgio (Juvenil de 2º ano) treinou muitíssimas vezes com o Plantel SÉNIOR, sendo inclusive suplente em vários jogos da Taça da Liga e Titular em vários da Intercalar, contribuindo para o Título desta última e para o Nacional de Juvenis, tal como já o fizera naquela Época de Iniciados.

Por fim, este ano o corolário lógico de toda esta ascensão do agora Júnior, de 1º ano! A tal simplicidade de processos que revela, a Maturidade, capacidade fantástica de leitura de jogo e bom posicionamento fazem as delícias de qualquer Treinador. Nunca será nenhum «Maradona», nem tão pouco está talhado para jogar naquela posição, pois reparem que na 2ª parte ele recuou um pouco mais no terreno e logo apareceu muito mais. Sinto um Orgulho muito grande neste Miúdo pelo motivo que vos contei, ainda por cima "contra" a opinião da «belíssima prospecção» dos nossos Rivais, que se limitam a tentar levar para lá «tudo que mexa». Selectividade, numa primeira fase do recrutamento é ZERO!

dragao vila pouca disse...

10 minutos muito bons, 2 a 0, adversário com menos um e partida resolvida. Depois o colectivismo deu lugar ao individualismo, a qualidade baixou e foi deixar passar o tempo com os olhos nos miúdos - excelente Sérgio Oliveira - e nos mais graúdos que têm sido menos utilizados- Prediger a prometer; Valeri a confirmar os bons pormenores que tem demonstrado; N.A.Coelho e Maincon, são o futuro.

Totalmente infelizes as declarações do treinador do Sertanense.

Um abraço

Dragaopentacampeao disse...

Num jogo de dificuldade mínima, Jesualdo operou uma gestão do plantel, dizimado nas últimas duas semanas, pela utilização dos internacionais pelas respectivas selecções.

Sobraram os suplentes à excepção de Beto a que se juntaram alguns jovens da formação. Foi com estes portanto que o professor treinou neste período.

Natural portanto as escolhas para a formação da equipa e seus suplentes para este jogo.

Embora seja prematuro tirar-se ilações do comportamento dos utilizados, face ao andamento e fragilidade do adversário, não poderei escamotear a boa prestação do «menino» Sérgio Oliveira que me surpreendeu pela positiva e a quem se deve dar novas oportunidades.

Desconfio no entanto que o seu futuro passará pelo empréstimo, quando mudar de escalão a exemplo de outras promessas que passaram episodicamente pelo plantel principal. Faz parte da política que tem vindo a ser seguida pela SAD.

O jogo não ofereceu quaisquer dificuldades mas ainda assim deu para notar a qualidade de passe de Prediger, que esteve sereno, atento,lúcido e prático. Não inventou nem complicou, antes pelo contrário. Falta um exame mais exigente. O central Nuno André Coelho, já tinha jogado na lateral direita, agora foi colocado à esquerda. Parece ser pau para toda a colher sem perda de qualidade. Jogador pendular mas vai ter de esperar pela sua oportunidade face à classe dos centrais titulares. O mesmo se passa com Maicon, ainda que neste jogo me parecesse um pouco intranquilo apesar do pouco trabalho.

Esperava um pouco mais de Valeri. Teve como habitualmente bons pormenores,não esteve feliz no remate.

Rodriguez, ainda à procura de ritmo, alternou coisas boas com outras de menor qualidade.

Farías confirmou o instinto de goleador. Continua a ser o avançado portista que menos tempo necessita para marcar. Especialmente contra o Sertanense!

Um abraço

miguel_canada disse...

A associação dos manhosos, delgados, bolhas e rascords, vulgo CNID, voltou a premiar em força os suspeitos do costume... o FCPorto.
Passam o ano inteiro a prestar bajulagem ao gaivotedo, a corroer tudo o que o FCPorto conquista e depois...votam em nós!
Irónico.

Tasqueiro Emigrante disse...

No pasquim lampiónico Abola, hoje vem na capa a dizer que o Aimar tem um trabalho invisivel e faz o que muitos outros não fazem nos treinos...acho que eles estão a referir-se á técnica dele de se atirar para o chão quando chega á grande área...

Visitem:
http://tascadepalmeira.blogspot.com/