quarta-feira, 21 de outubro de 2009

"Que la chupen y que la sigan chupando"

A frase do título não é da minha autoria. Tive de recorrer a um insigne pensador argentino do final do século XX, início do século XXI, para expressar o que me vai na alma em relação à imprensa portuguesa. No dia em que o tetracampeão jogava a competição mais importante de clubes a nível mundial, os jornais desportivos decidiram trazer para assunto do dia um director desportivo a elogiar o seu próprio treinador, um jogador russo que não quer receber enquanto estiver lesionado e um jogador português em Inglaterra a dizer que Paulo Bento é dos melhores do mundo (também tu, O Jogo?). Por isto, e pela vitória de hoje, "Sigan mamando".
Quanto ao jogo, não havia necessidade de tanto sofrimento. A diferença existente entre as duas equipas é muito maior do que o resultado sugere. Fomos irregulares ao longo do jogo, com momentos de letargia pura e fases de massacre às hostes adversárias. Adversário que foi, desde que vejo futebol, a primeira equipa que vi a conseguir marcar um golo numa meia parte sem ter feito um único remate. "Atéláidis" sem rematar à baliza, pensei eu, ao intervalo. E nós, ao fim de 45 minutos, já íamos com dezanove remates, oito deles à baliza, e o mesmo resultado prático que os cipriotas.
Pela positiva, destaco Hulk, claro, o homem do jogo. E ainda os três Fs: Falcao, Fernando e Fucile. Este último é já, para mim, o melhor defesa-direito do FC Porto desde João Pinto.
Pela negativa, Mariano, claro, não só pela expulsão estúpida, mas também pela falta de clarividência na maior parte dos lances em que interveio. Também abaixo do que pode fazer esteve Rodríguez, este com atenuantes devido à lesão recente. Melhorou na segunda parte, mas Jesualdo preferiu retirá-lo de campo e manter Mariano... Guarín entrou bem e agora, se Bellushi continuar ausente, é dar-lhe a oportunidade de ser titular para ver o que sai dali. Eu estou confiante.

8 comentários:

dragao vila pouca disse...

Não havia necessidade...
Na primeira-parte, perante um adversário que só defendeu e que sem fazer um remate à baliza se apanhou a ganhar, o F.C.Porto foi lento, previsível e esteve desinspirado, apenas reagindo depois de ter sofrido o golo. Na segunda-parte, com a alteração de Mariano na frente e Rodríguez no meio-campo, a equipa melhorou deu a volta, teve 20 minutos de grande fulgor, mas depois e mesmo antes da expulsão do Mariano, já estava na fase do conformismo. Com a expulsão do argentino as coisas pioraram, sofremos, mas acabamos por vencer com toda a justiça.

Com a vitória do Chelsea frente ao A.Madrid, temos um pé nos oitavos. Espero que em Nicósia coloquemos os dois.

Um abraço

João Ribas disse...

Pronto, cumprimos a obrigação de vencer. É o ponto mais positivo que tiramos deste encontro.
Não impusemos um ritmo forte, ficamos constantemente a ver no nosso meio-campo a Equipa Cipriota a trocar a bola, sem tentarmos fazer aquilo que estava à vista de todos, o facto de os jogadores do Apoel perderem sempre a bola de cada vez que eram pressionados... Ainda assim ficamos a dever a uma grande falta de eficácia na finalização o facto de não termos goleado este opositor.

O cansaço em alguns jogadores do FC Porto foi evidente a partir de determinada altura. Na 2ª metade Rodriguez pareceu mais desinibido, mais incisivo e com maior vontade. Espero que seja o início da sua recuperação, pois bem precisamos de o ter de volta, para imprimir toda aquela atitude com a qual tanto nos identificamos.

6 pontos em 3 jogos, mostram a nossa regularidade nesta Competição. Estamos a cumprir a nossa obrigação e a Europa já se habituou a ver tudo isto com naturalidade, quando deixamos Equipas de Campeonatos bem mais Competitivos que o nosso entre a «espada e a parede». Queria mesmo era ficar em 1º lugar do Grupo. Seria extraordinário em 3 anos seguidos conseguirmos o Topo dos Grupos, sempre à frente de Equipas Inglesas - Liverpool, Arsenal e agora o Chelsea.
Bem sei que tem de ser uma coisa de cada vez, é certo. Contudo, creio que faltam-nos 3 pontos para atingirmos o Objectivo mínimo. Não podemos falhar. Obviamente!

guardabel disse...

dragao vila pouca, vai ser muito complicado em Nicosia... mas acredito!

João Ribas, ainda não tinha pensado nessa possibilidade dos três anos seguidos em primeiro do grupo contra equipas inglesas. Era o consolidar (ainda mais) da nossa vocação europeia (independentemente do que possamos fazer ou não nos oitavos...). Como diz o outro "a bola é redonda" e já ganhámos ao Man United e ao Chelsea no Dragão, por isso...

nusanto disse...

Antes de mais, uma palavrinha de apreço para o Guarda, Pôncio e todos os que participam neste vlogue, o meu obrigado por terem, não só, ressuscitado o "Pobo" mas também por terem feito um upgrade na sua qualidade.

Em relação ao Porto, parece que cada vez mais lutamos sozinhos na Champions. Toda a comunicação social tem ignorado o Porto, e parece que a competição em que estamos inseridos é uma competição pequena (em comparação com a famigerada Liga Europa).

Para que interessam os grandes resultados do Porto nesta competição quando nas primeiras paginas dos desportivos aparecem entrevistazinhas a directores desportivos que encobrem toda a obra que o Porto anda a fazer nos ultimos anos???

É uma triste realidade. E o que se passa no futebol passa-se noutras áreas. O povo tuga não é unido na altura de lutar contra espanhóis, ingleses ou franceses. Nunca nos soubemos unir e nao somos solidários.

Esta corja e esta onda vermelha que estamos a atravessar é um espelho de uma realidade que não quer andar para frente, mas que prefere viver no passado longíquo.

Tristes putas....

Tasqueiro Emigrante disse...

O Porto tem sido ignorado pela a imprensa porque ela toda é benfiquista...mas o que interessa é que nós temos vindo a ganhar e os lampionicos levam merda para os bolsos e para o ranking.Eles que fiquem com a vergonha de no final ficarem atrás e terem que despedir mais um treinador...os titulos são nossos, os jornais são deles...

Ontem foi mais uma vitória...quero ver hoje os "5 magnificos"...

Visitem o nosso espaço.Abraço ao pobo:
http://tascadepalmeira.blogspot.com/

Ribeiro DeepBlue disse...

Momento alto da noite na TSF (ao intervalo):
"Bruno Prata, qual foi o melhor jogador em campo?"
BP: "Para mim, claramente, Paulo Assunção".
...
...
...
"Desculpem, Fernando Assunção".
...
...
...
...
"Hu, hu, hu, Fernando! desculpem, Fernando!".

O moço estava com a cabeça noutro lado.
Pudera, levar com aquele gordo seboso todos os sábados à noite, tira o tino a qualquer um.

André Pinto disse...

Estou muito contente com o resultado. O APOEL é uma equipa dura de roer. Em Nicosia vai ser muito difícil, mas, com algum trabalho de balneário, vamos lá.

Quanto aos pasquins só tenho uma coisa a dizer: é pena nao haver em folha dupla.

Dragaopentacampeao disse...

Num jogo de futebol, em especial na Champions League, é natural algum cuidado e algum estudo aos adversários.

Os resultados conseguidos pelo Apoel, apesar de uma derrota e um empate, parece ter amedrontado o professor.

A verdade é que o FC Porto começou prudente e acabou em aflição.

o caricato é que a turma cipriota demonstrou no tempo todo, fragilidades primárias, falta de nível e muita inexperiência. Os Dragões foram incapazes de explorar o filão.

Algumas circunstâncias terão influenciado para tal desempenho. Desde logo a falta de criatividade no meio campo onde se juntaram a má forma de Meireles e a falta de discernimento de Mariano. Se ao primeiro é reconhecida classe e capacidade para jogar melhor, ao segundo não lhe reconheço aptidão para servir um Clube de top.

Não entendo a obsessão de Jesualdo por este atleta, bem como a defesa de alguns comentadores que procuram tapar o Sol com a peneira.

O resultado está à vista. Mariano é já o jogador que mais oportunidades falhadas tem tido. É pois natural que a paciência de alguns associados tenha esgotado. Se outros foram com as trouxas por muito menos...

Neste jogo o que me chocou foi a forma amadora com que gerimos algumas situações. Acabar em sufoco, mesmo com menos um elemento, frente a um adversário tão frágil, recorrendo a expedientes próprios de equipas vulgares, é algo com que jamais concordarei.

O FC Porto tem historial e prestígio que deve defender. Esta não é forma de o conseguir.

Um abraço