domingo, 11 de julho de 2010

Podíamos ter sido nós!

Esta vitória espanhola é também um bocadinho nossa. Afinal, estivemos sessenta anos sob o domínio de nuestros hermanos (pena não ter havido um Mundial nessa altura). Para além disso, há muitos rios que nascem em Espanha e vêm desaguar a Portugal. Outro factor de cumplicidade foi o facto de termos sido o melhor treino que Espanha poderia ter para enfrentar os quartos-de-final, as meias e depois a final. Repare-se que o resultado foi sempre o mesmo para os espanhóis, o que prova que o modelo de jogo foi obtido com a ajuda de Portugal. Nós nem estivemos assim tão abaixo da prestação deles. Marcámos apenas menos um golo do que eles em toda a competição. E sofremos menos um golo. Ou seja, vai-se a ver, e ficámos com a mesma diferença entre golos marcados e sofridos. Podíamos ter sido nós! (ou então, não)

4 comentários:

Vitor disse...

A taça também vem para Portugal... 'Tá lá o Javi Garcia, não está?????

Armando Pinto disse...

Esssa do JG já a ouvi, será que passará do boato ou haverá qualquer coisa mesmo...?
Perante os cenários em voga, dos outros que vieram, as aquisições serão como os melões, só depois de se lhes tirar a prova se sabe se são bons ou não...
A propósito, embora mudando um pouco de agulha, repare-se num exemplo de como em tempos muito remotos já acontecia coisas assim, da vinda de estrangeiros e portugueses, uns que se afirmariam e outros não - conforme registo
"Recordando antigas novidades"
em

http://longara.blogspot.com/

ficando um desafio também a quem sabe e gosta da História do F. C. Porto

Abraço

dragaovenenoso disse...

Tivemos essa oportunidade em 2004-2006. Fomos finalistas vencidos no euro e chegámos às meias-finais no mundial. Este é(foi) o ciclo espanhol, tal como o francês.

Não ganhámos nenhuma competição por uma ou duas razões:

1) não tínhamos jogadores para tal desiderato;
2) não tínhamos seleccionador à altura;
3) a estrutura da federação é uma cagada.

Dando a 3ª razão como facto assumido - porque é verdade - não cumprimos com o o 1º, 2º ou os dois em sumiltâneo.

A MIM ninguém me convence que não tínhamos equipa. Tínhamos mais que equipa. Tal como a Espanha, tínhamos uma base na selecção que só o cego do seleccionador não via até ser forçado a mudar. A meu ver não tínhamos seleccionador de jeito. Se o tívéssemos, teríamos vencido os gregos e sabe-se lá onde chegaríamos no mundial.

Onde anda esse grande seleccionador brasileiro? No cú de Judas, e treinar sabe-se lá quem.

Há uma coisa que me dá cabo da cabeça: a cobertura que estão a dar ao futebol. Pelo que me apercebi em notícias de rodapé, neste fim-de-semana as nossas equipas nacionais fizeram bons resultados: em raguebi (sevens) sagraram-se campeões europeus; em vólei passaram à final 4 da liga europa; em ténis passaram à ronda seguinte; e mais algumas notícias. Isto tudo passou em rodapé. É a velha sina do que é estrangeiro é melhor.

reine margot disse...

Esse seleccionador que estava lá no cu do judas, dragaovenenoso, parece que vai ser o futuro seleccionador do Brasil, tão só...
o problema dele não é ser mau treinador, o problema é que ele não conhecia os jogadores e emprenhou pelos ouvidos - ai o seu ponto 3 alavancou-se sobre os restantes... além disso acredito cada vez mais que existe ainda um 4 ponto, chamado "Nike", ou patrocinadores, se preferir. Por acaso estive na argentina, e chamou-me a atenção aparecerem fotos gigantes do CR em tudo quanto era loja e outdoors...lá estava ele preparado para bater os livres: - será que o contrato da Nike obrigava a ser o CR sempre a bater os livres? acredito que sim... sobre esse aspecto dos contratos acho o Scolari 10 vezes mais competente que o Queiróz que deve ter sido comido de cebolada nessas questões...