segunda-feira, 26 de julho de 2010

FC Porto - Sampdoria: impressões

Afinal havia outro (jogo de apresentação). Este é que foi. Mas, no fundo, novidades, que era o que a malta estava à espera, nada. Palmas para Bruno Alves, palmas para Raul Meireles, momentos de despedida para dois gigantes de um FC Porto que precisa de evoluir, e passar à próxima série de vitórias consecutivas.

De Walter nem sombra. De Kléber, a mesma coisa. A malta impacientou-se. Então viemos aqui para ver a surpresa da ordem e nada? Se forem surpresas da estirpe de Panduru, Kennedy, ou Maric, não obrigado. Passo. O melhor é contarmos com os que cá estão, neste momento, e dar-lhes todo o apoio.

Do jogo propriamente dito, registei a melhoria exibicional em relação ao do Ajax. Parece-me que temos ali um tridente no meio-campo capaz de fazer "coisas bonitas" (expressão original). A mobilidade dos três rapazes é a novidade que Villas-Boas aportou à equipa. Vemos Fernando subir até à área, com bola controlada, ou não, vemos João Moutinho recuar até à posição 6, ou então Ruben Micael fazer o mesmo, quando o ex-lagarto se lembra de correr por ali fora, para receber a bola de Hulk ou de Miguel Lopes. Aqueles três jogadores do meio-campo tratam muito bem a bola e sabem-na esconder muito bem do adversário, o que pode trazer bastante faltas a nosso favor (basta que os árbitros as marquem).

No ataque, as coisas apenas funcionaram pelo lado direito, por onde errava um tal de Hulk. O homem está com a corda toda e aquele golo começa a ser a assinatura do incrível. Do lado oposto, um Rodriguez uruguaio algo discreto e pouco inspirado. No meio, Falcao ainda procura a melhor forma. A de acertar com a baliza e a de ser servido da melhor maneira pelos colegas.

A Sampdoria nunca constituiu um perigo consistente e continuado para a nossa baliza. E aqui reside uma das virtudes deste FC Porto de início de época: a forma como pressionamos e não deixamos o adversário ter a bola por muito tempo. Sim, isto é muito animador, ainda para mais se nos lembrarmos dos últimos dois anos, em que deixávamos o adversário subir à vontade até à nossa grande-área. A questão aqui é que isto implica uma grande disponibilidade física. A ver vamos. Na defesa, gostei bastante de Maicon, que se prepara para ser o substituto natural de Bruno Alves (a não ser que venha aí uma truta indiscutível para o lugar de central...). Os laterais parecem-me ser os pontos fracos da equipa. Miguel Lopes é muito faltoso, sendo que Fucile é absolutamente essencial na equipa, e Emídio Rafael, apesar da boa vontade de todos os portistas, tem limitações defensivas que não podem acontecer no nosso clube. Dizer que o ex-Académica se está a tornar num sério concorrente de Álvaro Pereira é um óbvio exagero.

Na segunda parte, gostei do facto de, apesar das substituições em massa, nunca termos deixado de controlar o jogo e até de causar perigo na baliza adversária. Na minha opinião, destacaram-se Bellushi e Souza (este brasileiro pode ser uma caso sério), e o Rodriguez colombiano, um chabalo com muita qualidade, este sim, capaz de ser uma séria ameaça à titularidade (?) do Rodriguez uruguaio. Põe-te fino, Cebola! Todos registámos o regresso do jogador mais importante da época passada - depois de Falcao - mas Varela ainda tem as dobradiças pouco oleadas. Não se podia exigir muito. Na defesa, gosto bastante de Sereno, e da sua forma prática a simples de jogar, tudo com qualidade. Sapunaru surgiu, talvez algo surpreendentemente para mim, com bastante velocidade, pelo corredor direito. Será que teremos o romeno de há um ano e meio atrás, quando estava em grande forma? Ainda entraram Castro e Ukra, mas não deu para se mostrarem. Esqueci-me de alguém? Os redes não contam, porque a equipa defendeu tão bem que não tiveram praticamente trabalho nenhum.

15 comentários:

Jorge disse...

para surpresas não esquecer o grande Chippo, isso é que foi uma noite de ficar parvo :)

aproveito para pedir se é possível colocar um link para a Porta19 no vosso site, que consulto todos os dias, como de costume.

um abraço,
Jorge
Porta19

Azul disse...

O problema continua a ser o ataque, não somos capazes de encostar o adversário ás cordas durante muito tempo. Espero que a novela do walter não acabe como a do Kleber!

André Pinto disse...

A maior alegria, ou alívio, que esta pré-temporada me está a dar é a certeza de um treinador que tudo fará para construir um futebol à sua imagem, de assinatura. Com Jesualdo, isso havia desaparecido. Foram épocas de futebol amorfo, desgarrado, refém da inspiração de poucos elementos em campo. Eu gosto de recordar como Jesualdo esteve 4 anos no FCP a afirmar que a equipa estava em construção....

Nota-se que Vilas Boas é adepto do estilo jogado em pouco espaço, de preferência perto da grande área adversária. Para isso, é fundamental a articulação defensiva, que envolve, neste estilo, todos os jogadores. Sem bola, assemelha-se a uma marcação homem-a-homem, muito agressiva, no género que vimos Mourinho implantar. Neste contexto, há um jogador fundamental, que terá que melhorar as suas qualidades de passe e transição para o ataque: Fernando.

Ainda é muito cedo, tudo são sinais. É preciso notar que, ainda que com a sua qualidade inflacionada pela propaganda do costume, o Benfica mantém a mesma equipa e treinador do ano passado. Nesse aspecto, Villas Boas tem que trabalhar muito para conseguir um entrosamento que lhe garanta regularidade no nacional. Espero que cumpra. E espero que os adeptos tenham o bom senso e a paciência de lhe darem o espaço necessário para que construa a sua máquina.

penta1975 disse...

'off-topic' sobre a «cessação de funções» do nosso 99

esta é uma 'estória' muito mal contada.

como é possível que um símbolo do Clube saia pela porta pequena? como é possível que ainda não lhe tenham feito, sequer!, um jogo de homenagem pelos títulos que ajudou a ganhar, em prol do Clube, ao longo de 27 (vinte e sete) anos - anos, note-se bem! não foram vinte e sete meses...

é uma VERGONHA!
mas, este é o meu desabafo.

saudações PENTAcampeãs!
TomoI

Ribeiro DeepBlue disse...

Era uma vez uma entrevista a José Mourinho:
Jornalista: "José Mourinho, acha que David Luiz tem possibilidade de ingressar no Real Madrid este ano?"
José Mourinho: "Não. Blá blá blá blá blá"
Jornalista: "Mas existe mais algum jogador do Benfica que possa interessar ao Real?"
José Mourinho: "Gaita, não. Muito caros. Não valem o que pedem por eles. Blá blá bla blá".
Jornalista: "Acha que o Benfica tem um bom plantel?".
José Mourinho: "Sim, bem, não, talvez, não sei, acho que não, tou-me a cagar para isso. Blá blá blá blá ".


Não se riam. Esta entrevista (excepto um pormenor ou outro) aconteceu hoje na TVI.

Era uma entrevista ao José Mourinho. Ou será que não?...

miguel_canada disse...

André Pinto, concordo perfeitamente com a análise.

Esta pré-época do FCPorto tem tido uns contornos muito pouco usuais, o que me tem deixado um pouco preocupado. Se bem que em relação às ausências dos mundialistas não haja nada a fazer, penso que o excesso de jogadores (chegaram a ser 34) não facilitou o trabalho do treinador e esta novela vampiresca do Walter e do Kléber tem sido absolutamente prejudicial à equipa e principalmente aos próprios.

No próximo fim de semana decorre o Torneio de Paris e acho que é chegada a altura do André Villas Boas começar a formatar "o onze".
Ainda não há "onze" e a Supertaça joga-se daqui a 11 dias e creio que a desvantagem que temos neste momento em relação ao Benfica, para lá das que referiste, é que o Jorge Jesus já roda o seu "onze" há dois ou três jogos e nós continuamos a rodar 29 ou 30.

Eu, na minha total ignorância sobre o que é treinar uma equipa profissional de futebol, diria que nas primeiras partes dos jogos com o PSG e com o Bordeux se deveria jogar com aqueles que farão o "onze" da Supertaça.

Helton, Fucile, Rolando, Maicon e Álvaro Pereira, Fernando, Rúben Micael e João Moutinho, Varela, Hulk e Falcao.


Penta 1975,

Infelizmente, os casos de mau agradecimento com os adeptos, colaboradores e com jogadores que brilharam com as cores do nosso clube é uma triste tradição no FCPorto de Pinto da Costa.
O Vítor Baía é só mais um exemplo a juntar a tantos outros em que, o mais deplorável de relembrar é o do próprio José Maria Pedroto, o verdadeiro mentor da radical mudança de espírito e atitude que o FCPorto sofreu nos anos oitenta.
Por mim, o Dragão nunca se chamaria Dragão. Chamaria-se estádio José Maria Pedroto e teria uma estátua do mestre na entrada principal.
Mais vergonhoso ainda foi, ano passado, Pinto da Costa ter a infelicidade, mais uma, de prometer ao mestre um titulo que sabia muito bem que já não tinha grandes hipóteses de ganhar.

Tenho uma fé secreta de que Vítor Baía se retirou para calmamente preparar o seu próprio assalto à presidência da Sad daqui a dois anos.

André Pinto disse...

Miguel, tens razão em relação ao facto de Villas-Boas ainda não ter acertado com o 11, mas é preciso ver que este é um plantel em revolução. Jorge Jesus não anda a rodar o 11 titular há 3 jogos, mas sim há um ano, porque é praticamente o mesmo. Não tem de andar a fazer experiências e a apalpar terreno. Aliás que outra coisa podia fazer o azeiteiro da Luz? Por isso, é preciso ter calma e aceitar com naturalidade que o nosso treinador esteja a ter um trabalho que ao rival foi poupado. Já sabíamos que estavamos em desvantagem, do ponto de vista da construção de uma equipa sólida, e isso não se vai conseguir de um momento para o outro. O nosso clube tem as condições ideais para se recuperar desse atraso, mas o adepto tem que ver para lá do resultado imediato. A título de exemplo: ainda estão a sair jogadores fundamentais para o FCP, como pode o Villas Boas andar a rodar um 11?

Ribeiro DeepBlue disse...

Parece que a Benfica TV vai chegar a Timor. Tal urgência prende-se com a divulgação do Português.
A partir de agora, com a prestimosa colaboração do LFV, do Chalana, do Eusébio e do Jesus vamos poder ouvir os Timorenses:
"Para que nós póssamos"
"Vocês os três façam um 'quódrado'"
"Ambos os dois"
"Pelo peixa morre a boca"

Tenham medo. Tenham muito medo...

Por falar em medo, depois da entrevista ao Mourinho ontem, temo que o regresso da TVI ao exclusivo da Liga de Futebol traga velhos vícios. A ver vamos...

penta1975 disse...

@ miguel_canada

acredita nas tuas palavras porque elas não fogem da verdade. e mais não digo porque não devo ;)

saudações PENTAcampeãs!
Tomo I

Helder Neves disse...

http://www.facebook.com/#!/group.php?gid=106638552724552&ref=mf

Guarda Abel que dizes da publicidade Benfica Tv no Dragão?
Que cambada de abutres!

guardabel disse...

Jorge: é para já.

Helder Neves: pá, digo que está mal, mas os interesses económicos sobrepõem-se a tudo o resto.

Ribeiro DeepBlue disse...

Paulo Bento a seleccionador?
Dasse...Mais um filme de terror.

André Pinto disse...

Bom, deu para ver ontem que o Sporting deste ano volta a ser uma equipa fraquíssima. Acho que, a continuar assim, o descalabro será inevitável. A pré-temporada permitiu arrefecer certos assuntos, levantar alguma moral nos adeptos, mas esta equipa é fraquíssima. Um meio-campo refém de Maniche e Pedro Mendes não pode ir longe. Pedro Mendes já se lesionou. Não acredito que Maniche jogue a época toda ao mais alto nível. A defesa, com a excepção de Evaldo, é deplorável, com um limitadíssimo Polga e um fraquinho Carriço. João Pereira é lateral esquerdo, mas não defende. Liedson está em cura de ego, no banco. Vukcevic parece estar em forma, mas caso o ambiente azede é uma bomba-relógio. Postiga muito regular, dentro da nulidade a que nos tem habituado ao longo da sua carreira.

Enfim, a coisa vai ser entre nós, as galinhas e talvez o Braga tenha uma palavra a dizer. O Sporting torna a lutar para ir à Liga Europa.

Azul disse...

Mais uma época para esquecer, hoje contra o PSG foi mau demais. Ano novo pecados antigos! Apostar no Vilas Boas é como apostar no porquinho contra o lobo mau!

guardabel disse...

Ehhhh lá, ó Azul, esse optimismo está em alta! Um jogo a feijões, uma derrota e já queres desistir? Isso é que é fé portista! :)