domingo, 20 de dezembro de 2009

Um passo atrás

Em primeiro lugar, uma mensagem para a lampionagem que buzina nas ruas: uma vitória sobre o FC Porto sabe sempre bem, sim senhor, mas o campeonato só acaba em Maio.

Jesualdo disse durante a semana que sabia que o Ramires ia jogar. A aparente segurança que mostrou sobre a forma como o adversário estava a preparar o jogo foi ela própria um bluff. Jesualdo, pelos vistos, não sabia nada. O que eu queria era que ele soubesse pôr a equipa a ganhar na Luz. E não soube. A chamada de Guarín pode ser criticada, mas o que mais me custou foi ver a forma como a equipa não conseguiu construir jogo ofensivo. A colocação de Guarín em campo revelou a preocupação de Jesualdo com o estado pesado do terreno, mas o colombiano passou pela Luz, como diz o Bruno Prata, como um "peixe fora de água". E foi Jesus quem menos se preocupou com o estado do terreno e até colocou em campo jogadores que tratam bem a bola.

Para mim, a chave do sucesso do Benfica esteve na forma como defendeu. E, neste particular, como soube anular a acção de Falcao, quando este procurava receber em condições e fazer tabelas com médios vindos de trás. Nunca conseguiu. Os defesas adversários não deixaram respirar os nossos jogadores - David Luiz fez provavelmente o seu melhor jogo desde que está em Portugal - e nós nunca encontrámos o antídoto para fugir a essas marcações.

Em contraste com essa nossa incapacidade de fazer circular a bola, o Benfica fê-lo em algumas ocasiões, pelos menos mais do que nós, dada a mobilidade dos seus jogadores. Os nossos foram muitos estáticos e foram sempre surpreendidos por antecipação. É certo que nenhuma das equipas fez um bom jogo, mas, no final, fica a ideia que o Benfica foi melhor. E aproveitou a única oportunidade que teve.

Individualmente, no FC Porto, talvez Rodriguez tenha sido o melhor, num jogo em que é difícil destacar alguém que tenha jogado bem. Pela negativa, custa-me muito ver e admitir o eclipse de Hulk, um jogador que tem de crescer muito, principalmente do ponto de vista psicológico, se quiser valer, vá lá, metade da cláusula de rescisão que o seu contrato tem.

PS - Não falei do árbitro, que não viu o fora-de-jogo na jogada que precede o golo, não marcou um penalti de César Peixoto sobre Hulk, ainda na primeira parte, para além de ter sido permissivo com a dureza encarnada. Mas quando jogamos assim, dá pouca vontade de reclamar seja do que for. E, sim, o Rodríguez também fez penalti.

14 comentários:

Traulitada disse...

"Permissivo com a dureza encarnada", não deves ter visto o mesmo jogo que os restantes portugueses! Agressão do Alvaro Pereira a Ramirez, rasteira do Fucile ao Urreta sem bola, golpe de karaté do Rodriguez ao Maxi, nestas três jogadas o Imbecílio errou, não mostrou amarelo ao Fucile e guardou os vermelhos nos outros dois casos! E ainda tens coragem de dizer que fomos protegidos! Já nem falo naquele penalti do Rodriguez, puro colinho! Mais do mesmo... só que deste vez não chegou para empatar como nos últimos dois jogos!

Para o ano há mais...

Feliz Natal para todos!

Ah pois disse...

Boa traulitada mereces tu. Dois penalties (o do Hulk é do mais evidente que possa haver) e faltas inventadas a torto e a direito a favorecer a merda e vens tu com desculpas do caralho.

Ganharam e mereceram ganhar, mas não basta defrontar um Porto abaixo de cão, ainda precisam das ajudas do home do apito. Pudera.

dragaovenenoso disse...

Sim, basta ver que depois dos últimos vinte minutos o FCPorto foi empurrado para a sua grabde área com faltas atrás de faltas. Defensivas e ofensivas. E parece que decidiu expulsar o Hulk, depois do jogo acabar. Mais, não há uma joagada que o Hulk ganhe em ombro a ombro, pois marcam sempre falta. Olhando para ele e para os outros raros são os casos em que o outro é mais forte que o Hulk. E quanto ao penalty a favor dos lampiões, podem crer que se o calabote o tivesse vislumbrado marcava. Sempre que podia parava o jogo para assistirem as meninas da luz. Enfim.

Azul disse...

Já que estamos em plena era dos casamentos gay proponha uma Botação: com quem vai Jesualdo dar o nó:
a - Mariano

b - Guarin

C - ...Hulk

Qualquer nabo é melhor que o Jesualdo em termos tacticos. Sr. presidente não vá ao mercado não e depois diga que viu o titulo por um canudo!

PS - Guardabel e que tal uma consulta ao oftalmologista? Não sei se reparas-te mas o canto que deu origem ao alegado penalti do Rodriguez não é canto...

dragaovenenoso disse...

Foi escrito pelo Mário Crespo. E' o que temos e a maior parte dos portugueses não se importa...


O palhaço


O palhaço compra empresas de alta tecnologia em Puerto Rico por milhões, vende-as em Marrocos por uma caixa de robalos e fica com o troco. E diz que não fez nada. O palhaço compra acções não cotadas e num ano consegue que rendam 147,5 por cento. E acha bem.

O palhaço escuta as conversas dos outros e diz que está a ser escutado. O palhaço é um mentiroso. O palhaço quer sempre maiorias. Absolutas. O palhaço é absoluto. O palhaço é quem nos faz abster. Ou votar em branco. Ou escrever no boletim de voto que não gostamos de palhaços. O palhaço coloca notícias nos jornais.

O palhaço torna-nos descrentes. Um palhaço é igual a outro palhaço. E a outro. E são iguais entre si. O palhaço mete medo. Porque está em todo o lado. E ataca sempre que pode. E ataca sempre que o mandam. Sempre às escondidas. Seja a dar pontapés nas costas de agricultores de milho transgénico seja a desviar as atenções para os ruídos de fundo. Seja a instaurar processos. Seja a arquivar processos. Porque o palhaço é só ruído de fundo. Pagam-lhe para ser isso com fundos públicos. E ele vende-se por isso. Por qualquer preço. O palhaço é cobarde.

É um cobarde impiedoso. É sempre desalmado quando espuma ofensas ou quando tapa a cara e ataca agricultores. Depois diz que não fez nada. Ou pede desculpa. O palhaço não tem vergonha. O palhaço está em comissões que tiram conclusões. Depois diz que não concluiu. E esconde-se atrás dos outros vociferando insultos. O palhaço porta-se como um labrego no Parlamento, como um boçal nos conselhos de administração e é grosseiro nas entrevistas.

O palhaço está nas escolas a ensinar palhaçadas. E nos tribunais. Também. O palhaço não tem género. Por isso, para ele, o género não conta. Tem o género que o mandam ter. Ou que lhe convém. Por isso pode casar com qualquer género. E fingir que tem género. Ou que não o tem. O palhaço faz mal orçamentos. E depois rectifica-os. E diz que não dá dinheiro para desvarios. E depois dá. Porque o mandaram dar. E o palhaço cumpre.

E o palhaço nacionaliza bancos e fica com o dinheiro dos depositantes. Mas deixa depositantes na rua. Sem dinheiro. A fazerem figura de palhaços pobres. O palhaço rouba. Dinheiro público. E quando se vê que roubou, quer que se diga que não roubou. Quer que se finja que não se viu nada. Depois diz que quem viu o insulta. Porque viu o que não devia ver.

O palhaço é ruído de fundo que há-de acabar como todo o mal. Mas antes ainda vai viabilizar orçamentos e centros comerciais em cima de reservas da natureza, ocupar bancos e construir comboios que ninguém quer. Vai destruir estádios que construiu e que afinal ninguém queria. E vai fazer muito barulho com as suas pandeiretas digitais saracoteando-se em palhaçadas por comissões parlamentares, comarcas, ordens, jornais, gabinetes e presidências, conselhos e igrejas, escolas e asilos, roubando e violando porque acha que o pode fazer. Porque acha que é regimental e normal agredir violar e roubar.

E com isto o palhaço tem vindo a crescer e a ocupar espaço e a perder cada vez mais vergonha. O palhaço é inimputável. Porque não lhe tem acontecido nada desde que conseguiu uma passagem administrativa ou aprendeu o inglês dos técnicos e se tornou político. Este é o país do palhaço. Nós é que estamos a mais. E continuaremos a mais enquanto o deixarmos cá estar. A escolha é simples.


Ou nós, ou o palhaço.

Este palhaço também anda no futebol há muitos anos, mas ninguem o quer ver, desde que ganhe o clube protegido pelo estado, ou seja o benfas. OU já não deveria ter descido de divisão por dívida ao fisco, paga com acção que não existiam?

Jonas disse...

São 3 pontos perdidos, não esqueçamos que eles têm de cá vir jogar. O FCP falhou muitos passes, muitos por culpa das cenouras que estavam a crescer no meio campo... a bola simplesmente não passava. Devíamos ter ido treinar para o campo da Oliveirense. Conforme ouvi dizer ao intervalo: "Vocês estão a ser massacrados". O mesmo já não ouvi na segunda parte... foi pena não aparecer um piroco a nosso favor também.

Deus...anteriormente conhecido como... disse...

Um Jesualdo medroso com medo do benfas, um mau jogo, num campo de batatas que nem para os distritais serve, uma má arbitragem, um golo que surje por acaso num lance atabalhoado e onde Helton tem particular destaque, já que mais uma vez está totalmente desconcentrado.
Anda a tornar-se repetitivo e cansativo estas paragens do Helton...mas porque que é que ele tem de se preocupar com os adversários? É médico e a malta não sabe?
Se tivesse estado atento, teria sem dúvida anulado, ou pelo menos tornado mt mais dificil a finalização do Saviola no lance do golo.
Perdemos, mas 4 pontos valem o que valem...esta cantiga já foi ouvida o ano passado e dps tiveram de arrumar pelo 4 ano consecutivo.

GM disse...

Vejo-me obrigado a responder ao Traulitada q tem uma interpretação mt particular dos lances que refere. A tal agressão do Alvaro Pereira ao Ramires deve ser aquela em q o Ramires entra a pés juntos, toca na bola efectivamente, mas ao deslizar pela relva ainda vai embater com o rosto no joelho ou perna do Alvaro que ainda levantou a perna em questão. Deve ter sido uma agressão bárbara pois claro. A tal falta do Fucile sobre o Urreta sem bola, quando iamos dois em corrida, o Urreta atravessa-se à frente do Fucile e até dou de barato que tivesse havido contacto q fez o Urreta cair, agora, vai uma grande distância p a intencionalidade da rasteira, e mais ainda para a mostragem de um eventual cartão amarelo, quanto mais, vermelho. Por último na situação do Maxi e do Rodriguez, entrem os dois em disputa pela bola, o Rodriguez ao aperceber-se que n chega à bola salta por cima da perna do Maxi, n evitando no entanto o embate com o corpo. Ainda gostava de saber q golpes de karaté são dados com o tronco. Para terminar, golo do benfas em claríssimo fora de jogo, dois penaltis por marcar a favor do Porto, um por marcar a favor do benfas. Quem teve as entradas mais duras e faltas p amarelo foi inclusivamente Javi Garcia e Carlos Martins logo no inicio do jogo.

Tasqueiro Emigrante disse...

Mau jogo do Porto contra uma equipa que faz anti-jogo e em que os árbitros continuam a deixar impunes jogadores como o David Luiz e o Javi Garcia que distribuem fruta o jogo inteiro(reincidentes)...depois queixam-se que o Rodriguez dá porrada...pois dá...está todo o jogo a levar dos outros pudera...

Mas o que Há a salientar é que é uma vergonha um tão afamado "melhor clube do mundo" ter um campo que nem lembra a nenhum clube amador...o clube da minha terra é da distrital mais baixa e tem um relvado que é um brilho! Ponham sintético nessa merda pah!

Quanto á expulsão do Hulk e do Sapunaru no tunél por alegada agressão a seguranças só posso tirar uma conclusão:
-Foi tudo planeado pelos lampiões para se vingarem, por isso é que meteram um pano na saida do tunel para ninguém ver nada se bem repararam.
-Seguranças a sério não levam porrada de jogadores, não estamos na América do Sul, tenham vergonha!

Estamos a 5 pontos da liderança, não é para alarmismos porque ainda falta muito e em Maio vamos festejar!

Visitem:

http://tascadepalmeira.blogspot.com/

André Pinto disse...

Não vale a pena falar do árbitro. É verdade que fez um mau trabalho, mas não me parece que tenha ajudado uma equipa em específico.

Também, desculpem-me lá, é de mau desportista invocar a qualidade do relvado, porque o Jesus até colocou uma equipa mais criativa em campo e teria maiores razões de queixa do que Jesualdo. O relvado esteve mau para os dois e acho que prejudicou mais o Benfica.

É assumir os erros, levantar a cabeça e trabalhar. O Benfas ganhou, neste jogo, em todos os aspectos. "Face it".

Queria apelar aqui para um exercício de memória, por parte dos meus amigos portistas. De há muitos anos para cá, o que caracteriza as equipas de sucesso do FCP? Na minha opinião, equipas com personalidade, futebol de marca, fórmulas sólidas. Enfim: as equipas tinham um estilo inconfundível, modelado por grandes treinadores e jogadores de carácter. Que personalidade tem a equipa que Jesualdo treina? Há alguma marca inconfundível? Treina o FCP há 3 anos e não conseguiu construir, em nenhuma das épocas, equipas dominadoras, com um futebol à sua imagem. Em campo, o FCP sempre entrou para MANDAR, para ter a posse de bola, para marcar o rítmo dos acontecimentos. Com Jesualdo, o FCP entra em campo fazendo fé num agregado de talentos, pobremente articulados. E, na minha opinião, têm sido 3 anos de um futebol pobre, aborrecido, exasperante. Salvo alguns jogos pontuais, claro, como aquele contra o Manchester.

O saldo de confiança, depositado pela conquista de três campeonatos é coisa ridícula e de pouca visão. Ganhar o pobre nacional, contra Benfica e Sporting, que só competem de igual para igual durante meia época, é coisa que acontece a quem treina o FCP. Vem quase no contrato. Os portistas, Pinto da Costa incluído, tiveram a sua visão toldada nesta questão e a renovação soou a agradecimento.

Ou seja, contratou-se um treinador por gratidão e não por ser o melhor para o FCP. Não preciso de demonstrar a lógica absurda de semelhante procedimento.

Uma segunda volta muito diferente agradece-se. Estou confiante que as coisas vão melhorar muito, mas o projecto (???) de Jesualdo tem que acabar esta temporada.

Pepe disse...

Não posso estar mais de acordo com o André Pinto.
É por demais evidente a falta de estatura do Jesualdo para um clube com a dimensão do FCPorto. Não o digo hoje, digo-o desde o dia em que o foram contratar ao Boavista. A falta de ambição, o medo e a má avaliação de cada jogador do seu plantel conduzem a exibições da equipa como a de ontem.
Ontem não merecemos ganhar, é a realidade mas, podíamos não ter perdido, pelo menos, e não aconteceu porque o Sr. Lucílio em muito contribuiu para isso. Isto é também inquestionável. A acumulação de erros grosseiros a nosso desfavor é incontável - o penalty sobre o Hulk, o penalty pelo desvio da bola com o braço do Cardoso, o off-side que precedeu a jogada do golo dos vermelhos, etc, etc. e isto, também, não pode, nem deve ser calado....

Saudações desportivas e votos de um Bom Natal e um 2010 com PENTA e FINAL da Champions League ... e isto os vermelhos não podem pedir Eh,Eh,Eh...

Dragaopentacampeao disse...

Foi uma derrota difícil de engolir, não tanto pelo resultado, mas principalmente pela fraca exibição, num retorno ao passado recente, apenas interrompido em duas ocasiões (Guimarães e Madrid).

Os problemas desta época (imprecisão no passe, perda de bola frequentes, incapacidade de construção de jogo ofensivo, desconcentrações comprometedoras, atitude desajustada e alguma falta de classe)reapareceram num jogo em que o FC Porto tinha tudo para ser feliz.

O adversário, longe da capacidade enaltecida pela propaganda panfletária dos pasquins, soube explorar as fraquezas há muito patenteadas pelos Dragões, com a protecção aqui e ali do habilidoso e mafioso Lucílio Calabote, acabando por levar a água ao seu moinho, num lance duvidoso, onde sobressaíram um conjunto dos defeitos apontados acima.

Pode-se especular se com Varela e Belluschi a titulares a exibição teria sido diferente.

Sinceramente, eu acho que o problema é infelizmente mais profundo.

Falta um patrão do meio campo e um avançado eficaz, diferentes dos que temos.

Ao que parece Pinto da Costa está satisfeito com o plantel! Como ele raramente se engana, continuarei a sonhar com o Penta.

Um abraço

Camisola10 disse...

Gostei da análise, mais objectiva e equilibrada do que o habitual, apesar de discordar de alguns pontos.

O Lucílio roubou descaradamente o Benfica, e não o contrário. Aliás, na Luz já se dizia que podia bater o recorde do Olarápio (dois penaltys e um golo limpo) mas acabou por não estar assim tão mal.

O FCP esteve muito defensivo (faltaram claramente um Belushi e um Varela a titulares), quando atacou fê-lo mais em insistência do que com o colectivo. O Jesualdo apesar da conversa durante a semana veio à Luz para não ser goleado e se possível marcar um golo de bola parada ou com um rápido contra-ataque do Varela na 2.ªa parte... ou seja, um esquema táctico retraído e sobretudo previsível.

Além disso, enquanto tiveram forças, os elementos do meio-campo do Benfica impuseram o seu jogo, liderados por um Carlos Martins que - na minha opinião - merece mais a selecção do que Meireles, Moutinhos, Velosos, etc.

Na 2.ª parte o Porto entrou melhor mas com pouco esclarecimento, e assim que o Jesus - o grande vencedor táctico da noite - fez entrar o Luis Filipe para o meio-campo e o Weldon para extremo (ou seja, as últimas opções de um plantel fustigado com lesões e castigos, mas com muita vontade de ser campeão) o FCP não mais causou perigo. Muito pouco do campeão em título perante demasiado Benfica.

Conclusões:

O FCP sente a falta de um Lucho e de um Lisandro. Provavelmente um Ibson e um bom avançado fariam muita falta a Jesualdo.

O FCP para mim continua a ser favorito ao título mas ao contrário dos últimos 20 anos, corre também um risco real de acabar em terceiro.

Não trocaria ninguém do plantel do Benfica por alguém do plantel do Porto. Bruno Alves, Rodriguez, o guarda-redes Beto e eventualmente Falcão são do melhor que há no FCP mas até para esse nível o SLB tem ainda assim melhores opções.

David Luiz, Luisão, Javi Garcia, Ramires (que pena ter jogado lesionado), Saviola, Cardozo, Di Maria, Carlos Martins, Aimar têm classe de campeões ... veremos que FCP se apresenta até final da temporada.

Boas festas a todos.

tripas_com_alface disse...

Li no Rascord que o Guarín foi titular em 4 das nossas 5 derrotas. Ele não é menino para pegar no jogo. Talvez sirva para segurar os nossos resultados positivos, tipo 2-0 ao intervalo, porque é forte e tem bom remate e não sei quê. Agora, ter esperanças que ele seja um 10 quando já temos pouca margem de erro, não sei não Jesualdo...