sexta-feira, 1 de maio de 2015

Um comentário

Já o fizemos no passado. Colocar em publicação um dos muitos comentários - excelentes, como é normal - de um dos nossos leitores. Este que vamos publicar hoje está no post anterior a este. Uma reflexão a todos os títulos pertinente que todos os portistas devem fazer. O nosso agradecimento ao MT.

"Infelizmente, problemas familiares graves subalternizaram a bola, e não vi nem o infame 6-1 com o Bayer nem o incipiente 0 - 0 com o SLB que está bom de ver arruinou qualquer hipótese de ganhar o campeonato. Está também bom de ver que este artigo é mero wishfull thinking. Não vamos ganhar a ponta de um corno, o que apenas se compara no reinado do Pinto da Costa a uma longínqua época dos anos 70 com o Pedroto a treinador. Estive sempre muito descrente com esta equipa, tendo os jogos com o SCP e o Bayern no Dragão criado uma ilusão de mudança. O banho de realidade com os alemães e os relatos dos abraços na luz quando terminou o jogo voltaram a cimentar em definitivo a minha opinião. Este Porto é uma "mierda" Aprendi a amar este clube, ainda criança nos idos anos 80. O Gomes foi o meu primeiro e talvez único ídolo que o "pecado" da adulação não é coisa que me assista . João Pinto, Jaime Magalhães, André, Madjer, Aloísio, Baía, Domingos, Jorge Costa, Deco, criaram a tal mística que todos recordamos com saudade e que desejamos ingenuamente que volte. Não vai voltar. O mundo mudou. A lei Bosman e entrada em força das corporações financeiras e dos milionários transformaram o futebol num mero negócio submetido aos ditames da UEFA e da FIFA. A Liga dos Campeões ("campeões" onde cabem quartos classificados da Espanha e da Inglaterra....)está feita à medida das grandes Ligas Europeias e apenas algumas equipas com orçamentos colossais de 3, 4 países a vão ganhar doravante. A Taça da Liga é uma competição de equipas de refugo. O Real Madrid não trocaria a Taça do Rei pela Liga Europa.... Neste contexto, o Porto optou por ser um clube que promove jogadores aspirantes a serem vendidos aos tais colossos gerando mais valias financeiras imediatas. O contexto do futebol actual não permite que os planteis durem pelo menos alguns anos. As equipas de Moutinho e Villas Boas foram rapidamente desmontadas. Mesmo jogadores portugueses com qualidade formados no clube não resistem aos apelos dos empresários e ao dinheiro que é aquilo que verdadeiramente interessa numa carreira efémera em que o romantismo finou. O glorioso Benfica fez-se num tempo em que o prémios de jogo eram camisas e garrafas de brandy. Muitos iam para o futebol para terem acesso a uma carreira no sector fabril ou industrial. Os jogadores, mesmo das grandes equipas eram operários. Não eram milionários. Nos anos 70 as coisas começaram a mudar, a profissionalização surgiu em definitivo, mas os clubes de futebol ainda tinham uma identidade nacional e regional muito vincadas. Hoje, com a excepção do Atlético de Bilbau quantos clubes de média/grande dimensão têm maioritariamente jogadores das regiões a que pertencem, ou mesmo do país? Este fenómeno é irreversível e afectou todos os clubes. O FCP soube-se adaptar e conseguiu manter o sucesso desportivo. O Benfica deixou de dar tiros nos pés a imitando a nossa fórmula (investimentos avultados em jogadores de qualidade com a ajuda de fundos de jogadores. Estabilidade directiva e técnica) prepara-se para contrariar em definitivo a nossa hegemonia. Some-se a isso o enfraquecimento do nosso presidente que permitiu que tomassem de assalto os bastidores do futebol e com um apito avermelhado bem grande e ruidoso vão tecendo a sua "influência" sem escutas importunas e chatices com o Ministério Público. Mas se quisermos que as coisas mudem não podemos cair no erro de arranjar culpados para as nossas próprias falhas. Ficarei desgostoso se ouvir falar em arbitragens e "azares" no fim da época. Na minha opinião: 
1 - Mudar a direcção. O Pinto da Costa merece todas as homenagens e nunca se esqueça que o Porto tornou-se o maior clube português depois do 25 de Abril pela devido ao seu trabalho. Mas tudo tem um fim. Está limitado pelos problemas de saúde e quer queiramos quer não pelo processo do Apito Direccionado. Poderia ser criada uma alteração nos estatutos que o colocasse como presidente emérito, como o Real Madrid fez com o Di Stefano. Precisamos de alguém que seja duro e que nos defenda quando não nos respeitam. Precisamos do Pinto da Costa da penhora da retrete das Antas. Mas esse, já não volta.
2 - Os prémios devem ser apenas dados quando há de facto sucesso desportivo. É uma vergonha que se dêem milhares a dirigentes com segundos lugares e apuramentos para fases eliminatórias da Champions. Prémios só com título de campeão Nacional, meias finais da Champions ou Final da Liga Europa. Nem a Taça de Portugal deve dar prémio. Os Caldeiras e Fernandos Gomes da vida andam relaxadinhos porque sabem que chorudo guito vai pingar na conta. Nós, adeptos ou sócios, apenas ficamos com a frustração.
3 - Controlar de novo os activos. Estou completamente farto de ver jogadores em fases cruciais da época dizerem aos jornais que querem sair ou que não estão felizes com isto ou aquilo. Isto não acontecia antigamente. Elucidar implacavelmente os jogadores e os empresários que esse tipo de procedimento é inaceitável. Se violado, equipa B ou no limite expulsão, nem que seja o jogador mais valioso do plantel. Informar também os jogadores que não se trocam abraços e mimos com gente que constantemente nos ataca, odeia e despreza. Ninguém quer violência mas por favor poupem-nos a climas de lua de mel.
4 - Premiar o sucesso quando ele surge. Muita da massa adepta do Porto tornou-se passiva e dolente. O Jesualdo ganhou 3 campeonatos, saiu pela porta pequena sem um agradecimento. O Vítor Pereira com equipas inferiores às do Jesus ganhou dois campeonatos com uma única derrota. Era gozado. Vi adeptos a dizerem que se o Vítor Pereira conseguia ser campeão até um burro podia ser treinador do Porto. Nos últimos dois anos ganhamos uma Super-Taça. Que dizer agora?
5 - Manter o treinador. Será trágico se fizermos do Lopetegui o bode expiatório."

14 comentários:

Jorge Vassalo disse...

Bravo. Subscrevo inteiramente. E sublinho porra!

Abraço Azul e Branco,

Jorge Vassalo | Porto Universal

André Pinto disse...

Excelente súmula. Muitos dos pontos abordados no comentário já haviam aqui sido extensivamente discutidos, com conclusões semelhantes.

Os dois pontos finais merecem-me os seguintes comentários:

4 - Muitos adeptos se iludiram na altura relativamente ao que se fez com Vítor Pereira. Eu estive entre eles. Julgávamos que podíamos e devíamos aspirar a melhor, mas foi-nos servido Paulo Fonseca e uma equipa em putrefação galopante. Quando assim é, obviamente que Vítor Pereira esta noutro patamar de categoria.

5 - Não estou nada de acordo. Em primeiro lugar, esta observação insinua que Lopetegui não tem amplas responsabilidades no falhanço desportivo da época e que, portanto, o contrario seria transforma-lo em bode expiatório. Nada mais falso.
i) Lopetegui teve todos os jogadores que pediu, o que também correspondeu ao maior investimento de sempre no nosso clube.
ii) No capitulo técnico, dificilmente se poderá defender o trabalho de
Lopetegui. As suas opções, modelo de jogo, gestão do plantel, comportamento nos ditos "momentos cruciais", etc., tudo teve a marca da mediania e quase tudo falhou. Não me lembro de nada que me levasse a dizer: -"Este fulano é um excelente treinador, aquilo que precisamos..." Note-se que a coisa só lhe correu bem em desafios de maior dificuldade na única vez em que abdicou totalmente do seu modelo de jogo (Bayern no Dragao)... Lopetegui gastou meia-temporada as aranhas, não repetindo 11 ate Novembro, chegando ao cumulo de ser eliminado da Taça de Portugal, em casa pelo Sporting, depois de ter alinhado uma equipa B no relvado. Nunca esquecerei o paquiderme de Alvalade celebrando no nosso relvado - esse que tanto nos havia insultado na semana antecedente... A Champions disfarçou muita coisa, mas mal. Quem quiser ser honesto saberá ver onde esteve o mérito, a sorte e o falhanço. Se Lopetegui fosse treinador do Benfica e falhasse como falhou, com toda a panóplia de más decisões que tomou, com o investimento que teve por base de trabalho, estávamos aqui a gozar o pato....

Para mim, relativamente ao treinador, e assumindo que não gosto do estilo de jogo de Lopetegui, nem lhe vejo capacidade para ser o nosso timoneiro, qual a situação em que estamos? Se for para repetir a sucessão de Vítor Pereira, prefiro manter Lopetegui!

Isto é o melhor a que podemos aspirar, i.e. impor uma estabilidade perigosa, arriscando na evolução de um treinador que se revelou fraquinho na sua primeira temporada? Ou existem de facto alternativas que nos convém mais? E será intelectualmente honesto estarmos a invocar a manutenção de estabilidade nesta situação, quando mais de metade do 11 titular tem probabilidade elevada de sair? Que estabilidade adviria de se manter Lopetegui nessas circunstancias?

Fala-se a boca pequena em Paulo Sousa, que tem feito excelente trabalho. Boca pequena, porque os 3 anos de contrato que Lopetegui assinou, têm uma clausula de rescisão altinha. Se aparecer outro clube que o queira e se Lopetegui estiver interessado, bacoreja-me que a nossa direccao não se fará esquisita...

Nao sei que vos diga...

André Pinto disse...

Queria por aqui o recorte onde se da conta da alegria portista com a recepcao na Luz. So faltou transcreverem Reinaldo Teles elogiando a frescura das gambas no camarote...

E será também coincidência que os fulanos envolvidos na beijoquice com o catedrático da chicla fossem precisamente os dois símbolos máximos do plantel para os adeptos?

Eu acho que não. Lopetegui ainda estrebuchava no relvado quando os pesos-pesados do portismo se estavam a cagar, arrotando minis nos camarotes ou esfregando-se no treinador adversário. Parece-me que Lopetegui esta a prazo, havendo sinais fortes de divorcio com a estrutura dirigente. É preciso referir que o treinador basco amarrou o seu destino ao sucesso da equipa, quando lhe foi dada carta-branca para construir um plantel arrasasse nesta época.

(Amigos sportinguistas efabulam alianças, estribados neste contraste entre roubalheira do campeonato e passividade da estrutura portista. O acordo, no toutiço lagartoide, seria o seguinte: o SLB sagra-se campeão com escândalo e equipa fraca, sem oposição do FCP, deixando Jorge Jesus rumar para o norte no fim da época. CREDO! O bagaço de BdC esta forte...)

rbn disse...

Belo comentário, concordo com quase tudo, mas vamos lá ver uma coisa:

se fosse o Porto a jogar 11 jogos do campeonato contra un adversário reduzido a 10...

ou se anulassem golos legítimos a adversários do Porto que davam a igualdade no marcador...

e outras coisas que aconteceram como o golo em fora-de-jogo contra o Gil no galinheiro...

alguém tem dúvidas que os nossos rivais ( a bolha e o rascord incluídos neste lote) iam estar tão caladinhos como nós temos estado???

Claro que não, estavam todos em côro a pedir outro apito, iam ao ministério público, ao MAI, e até ao presidente da república se preciso fosse...

Eu pelo menos tenho memória de elefante e lembro-me perfeitamente de capas com dizeres "xistra decidiu",
"os títulos do Porto são tributo aos árbitros",
"orelhas quer o Porto a pagar em todas as frentes",
"até tu, Pedro???", entre outras...

É só isso que eu pergunto: se fosse o Porto a beneficiar de 11 expulsões em 30 jogos, golos fora-de-jogo e golos super-hiper-mega mal anulados a adversários, os outros iam dizer que a culpa era deles próprios???


reine margot disse...

Decepção completa!

Caso para perguntar:
"Et tu Brutus?"

Tudo conversa.
Porque não surge ninguém alternativo a candidatar-se à presidência? Vêm aí as eleições, e não se vê nada! ... Mas é preciso mudar a direção.
Controlar os ativos? Maia do que se controla? deveria ser exatamente o contrário; como disse o mundo mudou , se mudou numas coisas mudou noutras. O problema muitas vezes é os jogadores serem julgados, sem serem ouvidos...
Quanto ao ponto 4, estou plenamente de acordo que temos de ser agradecidos, mas como quer fazer: controlar os adeptos, também?
formatá-los ?
O que dizer então do intróito ?
de a equipe ser uma mierda ?
Poderia ter optado por dizer uma "merda",.. -Algo me diz que o último ponto é uma ironia!...

Desculpem, mas para este peditório: - já dei!


Miguel Lima disse...


@ André

« assumindo que não gosto do estilo de jogo de Lopetegui, nem lhe vejo capacidade para ser o nosso timoneiro»

desculpa, André, mas essa tua embirração, sempre notada e finalmente assumida, faz com que muitos dos teus juízos para com o actual treinador sejam injustos.

1)
é um facto evidente que houve um forte investimento, este ano. mas discordo que tenha sido assim tão alto como os me(r)dia querem fazer passar. acredito até que não seja tão díspar do que foi realizado nas últimas quatro épocas - os R&C's consolidados comprovam-no.

2)
depois da deformação de um plantel bicampeão, por intermédio de um pau de vassoura, acho lógico que quem o substitua proceda a uma revolução. mais: Lopetegui teve tempo para analisar as lacunas que identificou nesse plantel. se teve tudo o te pediu, aí tenho dúvidas. Classie e Navas não estão aqui e verificam-se lacunas nessas posições, com os substitutos a não corresponderem ao exigido

3)
sou dos que acredita que os sucessos da formação, esta época, não são fruto do Acaso e têm que ver com a chegada do treinador basco. mais: os nomes de que se fala para a próxima época parecem-me acertados, e indiciam uma inversão relativamente a um passado recente. se essa inversão será só ligeira, o Futuro o dirá.

4)
custa muito não ganhar títulos. mas, houve momentos, esta época, de muito bom futebol. consegui-lo em menos de um ano foi mérito do treinador.
e não nos poderemos esquecer do #colinho. que houve, que existiu. e, mesmo com esse #colinho todo, estamos a três pontos do "líder".

5)
é certo que falhámos em momentos cruciais. a Choupana está atravessada na minha garganta, e ainda estou envergonhado com aqueles 6-1.
mesmo assim, acredito! acredito que estamos no rumo certo.

abr@ço
Miguel | Tomo III

ALBINO disse...

Sugiro ao(s) autor(es) a leitura do post hoje apresentado no REFLEXÃO PORTISTA. Talvez encontre aí algumas explicações para o insucesso registado. Mas a memória às vezes fraqueja!

André Pinto disse...

1) O valor absoluto do investimento fala por si e foi o maior de sempre. Quanto pagamos por jogadores emprestados? E o negocio de Adrian, 11 milhões por 60% do passe? Isto é normal no que sempre foi a nossa política de contratações?

2) Totalmente errado. O plantel bi-campeão não foi deformado coisíssima nenhuma. Semelhante afirmação é um lapso de memoria da parte do Miguel. Os dois planteis que Vítor Pereira teve a sua disposição não foram mais do que versões progressivamente degradadas do plantel de André Villas Boas. Não teve, como quer fazer querer, dois planteis bi-campeões, construidos para o efeito - isso é totalmente falso! Vitor Pereira - relembro-o - foi contratado para conter os efeitos nefastissimos da saída extemporânea de Villas Boas e consequente degradar do seu projecto. Esse processo desaguou no falhanço de Paulo Fonseca. É notório como muitos portistas reescrevem o passado na sua mente, e passam a considerar Vitor Pereira como o timoneiro de um projecto convencional, quando o que fez foi uma (excelente) gestão de contingências negativas. O FCP não tem um plantel de projecto desde 2010. Vamos ser sérios. Este plantel também não o é, caso contrario não teria no 11 titular tantas pecas emprestadas e outras pedindo para sair. Reafirmo que Lopetegui teve carta branca para fazer o actual plantel, fazendo jus na palavra de insignes portistas. E nao foi pela SAD que Lopetegui nao recebeu Navas, ou Classie. Também não esta a ser honesto nessa afirmação - ou alguma vez Navas, por exemplo, iria preterir o Real Madrid em nosso favor?... A SAD contactou-o e chegou a formalizar uma proposta. Esta errado o Miguel.

3) Eu não sei do que esta a falar. Que formação? Da equipa B e camadas jovens? Se o Miguel acha que terá a formação dando cartas na equipa principal com o actual modelo de financiamento, então esta completamente a leste do paraíso, lamento. Estou mesmo a ver todos os grupos de interesse que se movimentam na SAD a desistirem dos seus negócios da China, para se promover a juventude formada no clube... Não sei quais são os nomes de que o Miguel fala para reforços. Mas ao achar que esses vão revolucionar a coisa, esta a admitir que algo precisa de ser profundamente alterado, o que choca com a sua ideia de formação e crescimento do actual plantel (o tal "projecto", que é uma balela digna do ministro da propaganda de Saddam Hussein).

4) Não esqueço, nem nunca esquecerei o colinho... Mas "momentos de bom futebol"... que é isso? Não acha que devíamos aspirar a mais? Mesmo nao vencendo, que houvesse fio e meada, continuidade, etc.? Em temporadas gloriosas, também houve momentos de mau futebol. Olhe, por exemplo, quando Falcão se lesionou e Villas Boas teve de andar uns tempos com Hulk a ponta de lança, a ganhar os jogos a rasquinha, com exibições fraquinhas - lembra-se do famoso discurso da "nota artística" de Jesus? O que conta em competição contínua é o balanço. Os "bons momentos", se forem pontuais e não tiverem possibilidade de passarem a algo sistemático, são absolutamente irrelevantes. E a verdade é que encontro fraca capacidade técnica em Lopetegui para fazer evoluir seja o que for. Técnica, note bem, para não dizer dizer que é embirração injustificada. Não acho que a equipa haja evoluído assim tanto e para o ano vai ser a mesma historia, com todas as saídas que temos no horizonte.

5) Caro Miguel - excelente e orgulhoso portista. Não se ofenda, mas quem acredita vai a Fátima. Essa não é a cultura do nosso clube, como muito bem saberá. Fazer as coisas depender da fé não esta no nosso código genético. Nós fazemos o sucesso depender de coisas como o trabalho, esforço, competência, superação e a boa planificação. Essa foi a chave do nosso sucesso durante décadas. Ninguem no seu perfeito juízo poderá afirmar que a competência e boa gestão foram os signos desta temporada no Dragao. Houve muita incúria, incompetência (SAD, estrutura dirigente) e equívocos inadmissíveis a este nível (Lopetegui). Para mim, isto é claro como agua.

Ribeiro DeepBlue disse...

André,
com todo o respeito, e sobre Lopetegui, não concordo.

E para mim, bastaria uma questão para que, se fosse eu a decidir, o homem ficasse mais uma época.
A prestimosa comunicação social de Al-Lishbuna não gosta dele.

Cometeu erro?
Cometeu, não é Deus (esse está lá em baixo e agride adversários).

Mas seria trágico que, para além da razia do plantel que se prevê, tivessemos também que começar do zero em termos de treinador.

Temos é de ser capazes, em primeiro lugar, de olhar para os nossos erros.
E aqui, penso que o Lopetegui não é o mais responsável.
E foi o único que deu o peito às balas a esta cáfila chamada "comunicação social portuguesa" onde o desígno de inspiração fascizóide "vamos levar o BEnfica a bi-campeão" teve muito peso (não, não falo do Gobern nem do outro pote de banha semelhante que costuma grunhir na CMTV).

cian disse...

pessoal, eu, não é por nada, mas depois de ler os comentários aqui creio que fiquei elucidado de uma coisa. Esta época foi para fazer dinheiro para apostarmos nas próximas, Pinto da Costa não dorme.
Então vejamos:

Os melhores jogadores foram utilizados na Champions e Campeonato, as prioridades, a Champions pelo dinheiro, o Campeonato pelo lugar na Champions, agora é que vejo o que Pinto da Costa falou com Lopetegui. Este ano não é para ganhar nada, como as coisas estão na liga, nas arbitragens, nos fundos e na UEFA, vamos precisar de dinheiro para investir nos próximos anos com uma boa equipa de raiz, vamos vender os activos Danilo e Jackson, e reformar os antigos, a prioridade este ano é a Champions, precisamos dos milhões da Champions, e o Campeonato, para irmos para o ano à Champions. Tenho cada vez mais a certeza que Pinto da Costa disse a Lopetegui que a Taça de Portugal e a Taça da Liga não eram objectivos, claramente. Vejam-se os jogadores utilizados nessas competições, e os jogadores utilizados na Champions e no Campeonato. Depois fizemos um balúrdio na Champions, 24 milhões não é para qualquer um, a aposta deu resultado, excepto no jogo final, o 6-1 abalou a confiança dos adeptos no treinador. No campeonato se não fossem as ajudas o Porto ia em primeiro, mas também não ganhámos o nosso jogo em casa, e se tivessemos, iamos à frente com 3 pontos, por isso acho que está tudo dito quant a isso, no entanto, ficar em segundo não é mau para os objectivos de PC e de Lopetegui, ir à próxima Champions, e fazer um balúrdio nesta, objectivos cumpridos.
E agora? Agora é como está a dizer o André, temos de fazer uma equipa como em 2010, e acredito que PC e Lopetegui, com o dinheiro que têm, agora bem mais do que o ano passado, poupando em salários dos jogadores emprestados, com os milhões da Champions, e com a venda de Danilo(Jackson irá de certeza?), vamos concerteza ter uma grande equipa para o ano e para os próximos anos, agora tudo faz sentido, só assim Lopetegui entra com o 11 que entrou contra o Sporting na Taça, nunca tinha percebido, agora percebo, a Taça de Portugal nunca foi objetivo, financeiramente não traria nada ao Porto, pelo menos nestes anos de crise e para preparar os próximos, enquanto uns se entretém com as taças o Porto prepara o futuro, se assim for estou plenamente confiante no projecto que aí vem. Precisamos apenas de mais alguns reforços bons, e acredito que iremos tellos. ;)

Miguel Lima disse...

@ André

antes de tudo, desculpa só responder agora, mas desconhecia o teu comentário posterior.
depois, afirmar que, apesar das diferenças de opinião em que divergimos, aprecio muito o teu portismo: é sentido, vem "de dentro" e não é fruto da Ocasião.
"graxa" dada, vamos a isso :D


1)
desconheço quaisquer valores oficiais. tudo o que (não) sabemos está nos R&C's, e no que a SAD quer que se saiba. como sempre, vou esperar pelo Consolidado e, aí sim!, dará para ter uma ideia mais abrangente do esforço feito e se está assim tão dissonante das épocas anteriores.
Adrián: estou em crer que houve acerto de contas com o Atlético de Madrid, como referi aqui.

2)
abomino os telemóveis (muito pouco) inteligentes, sobretudo em termos de corrector ortográfico.
é óbvio que não é deformação, antes degradação de um plantel bicampeão.
mesmo assim, não quis «fazer crer [que Vítor Pereira teve] dois planteis bi-campeões, construídos para o efeito». e, tal como tu, sei bem do porquê da entrada de Vítor Pereira em cena - ainda hoje, não perdoo a traição pelas £ibras-Boas. adiante.

3)
«O FCP não tem um plantel de projecto desde 2010»
discordo. em absoluto. o deste ano é a semente, e apesar da questão dos emprestados - que também os temos, note-se bem! daí a minha referência ao que já se aventa para a próxima época, e que é (muito) do meu agrado. era uma crítica minha, um desejo antigo e que, aos poucos, vai sendo concretizado.
Navas e Clasie foram dois exemplos de desejos de Lopetegui e que não se concretizaram. se sobre o holandês acredito que tenha havido intransigência da SAD para não se entrar em loucuras, sobre o costa-riquenho os euros falaram mais alto em detrimento de uma época efectivo... ao banco. ele é que perdeu, apesar do recheio da conta bancária...
já agora, um nome para guarda-redes: Anthony Lopes (Lyon, contrato até 2016). mas prefiro uma aposta consistente em Gudiño.

4)
«Que formação?»

Diogo Verdasca, Moreto Cassamá, Rui Moreira, João Cardoso, Rui Pedro, Leonardo Ruiz - sub-19
Gudiño, Kadu, Lichnovsky, Rafa, Mikel, João Graça, Podstawski, Pavlovski, Leandro Silva, André Silva, Frédéric - equipa B
(a que acrescem os emprestados Kayembé e Ivo Rodrigues)
Ruben Neves e Gonçalo Paciência - equipa A

esta é a formação a que me refiro André: nomes que ainda nos irão dar muitas alegrias, independentemente do que afirmas: «Estou mesmo a ver todos os grupos de interesse que se movimentam na SAD a desistirem dos seus negócios da China, para se promover a juventude formada no clube»

Ruben Neves e Gonçalo Paciência desmentem esta tua afirmação. não se pode é colocá-los, a todos, num mesmo ano, na equipa A, capitulando a aposta na gestão de risco assumida - que passa pela entrada na Champions todos os anos e passagem da fase de grupos.
(e sei bem que há interesses de negociatas. mas também quero acreditar que deverá haver um mínimo de seriedade e que actualmente a aposta na formação é o caminho, mesmo que feito com muita "calma")

[cont. 1/2]

Miguel Lima disse...

[cont. 2/2]


5)
«Não sei quais são os nomes de que o Miguel fala para reforços»

para já, Sérgio Oliveira e (em princípio) André André. agrada-me. muito.

6)
«Mas "momentos de bom futebol"... que é isso? Não acha que devíamos aspirar a mais?»

acho. acho que devemos aspirar a vencer mais uma 'Champions', por exemplo. e a tentar mais um penta. mas sei que, nos moldes actuais, tal é difícil, se não mesmo impossível. (obrigado, Platini.)
mas não esqueço algumas (muito boas) exibições, numa época que foi a primeira de um treinador novo, numa realidade diferente e numa época indecorosa pelo #colinho que vingou (e ainda vinga). e, espero, mesmo assim ficaremos a 3 pontos do título. e aqueles bons momentos não apagam o que aconteceu (sobretudo) na Choupana, no 'caldeirão', em Alvaláxia e em Carnide - jogos onde estivemos muito mal, também em termos de futebol jogado. em casa, ante o Boavista, foi em noite de dilúvio e o jogo deveria ter sido adiado, e contra o 5lb houve eficácia a mais do adversário, num jogo em que tudo fizemos para vencer.

7)
«E a verdade é que encontro fraca capacidade técnica em Lopetegui para fazer evoluir seja o que for»

Danilo. simplesmente Danilo. é o exemplo máximo de «evolução»

8)
«Não acho que a equipa haja evoluído assim tanto e para o ano vai ser a mesma historia, com todas as saídas que temos no horizonte»

desculpa, André, mas mesmo não fazendo futurologia, estou confiante. muito confiante. portanto, discordo.

9)
a contra-argumentação ao teu ponto 5) está no comentário do 'cian'.


abr@ço
Miguel | Tomo III

André Pinto disse...

Ok Miguel, respeito muito a tua opinião e desejo fortemente que tudo o que indicas se realize.

Mas não entendo tanta esperança na formação. Os nomes que desfilam são de facto uma realidade - não o contesto. O que me parece estranho é achares que são relevantes para construir o nosso plantel, tendo em conta a estratégia de aquisições dos últimos 10 anos. Quantos jogadores da nossa formação vingaram na equipa principal, ou sequer foram equacionados em alternativa a compras caríssimas? De tudo o que apontas, só Ruben Gonçalves se afirmou e Gonçalo Paciência diz-se que é para vender. Construir o plantel encontrando soluções na formação não tem sido a nossa estratégia, desde há muito e parece-me descabido achar que agora as coisas serão diferentes, porque sim....

Ribeiro DeepBlue disse...

Corre na nação encarnada a ideia peregrina que, se lhes dessem a escolher entre Lopetegui e Jesus, os portistas escolheriam este último.

No clube do Vale Tudo, é natural que achem isso.
No clube que faz campanhas jocosas com os #colinhos e os tempos de desconto dados pelo árbitro, é natural que achem isso.
No clube que tenta ganhar na secretaria que perde em campo com mais de 20 pontos, é natural que achem isso.

Agora no clube que aprendi a amar, jamais aquela besta ordinária, desrespeitadora de tudo e todos, desde a gramática até aos treinadores e jogadores adversários, passando pela polícia, seria treinador do meu clube.

Um milhão de vezes um Lopetegui a perder do que aquele labrego a ganhar.
Há valores dos quais nunca abdicaremos.

Já agora, a nossa obediente CS, já mostrou as unhas ao homem, por aquilo que disse ontem na conferência de imprensa após o jogo com o Gil.
Não toquem na nossa CS, pois a mesma está acima de qualquer suspeita!
Não patrocina encontros a meio da noite, como as putas, com dirigente do SLB, realizadores de meia tigela e outros figurões de segunda, para levar a cabo campanhas a favor do "mais maior que tudo".
Não faz favores a ninguém nem é recadeira de Vales, Vinhos e Vieiras...

Como vi escrito há bem pouco tempo, o Lopetegui, guarda-redes do Barcelona e selecção, campeão pelo seu clube, presente em mundiais é o quê comparado com um Jesus, jogador mediano ou um Delgado, permanente suplente do clube do seu coração?
Nada.
Pois eu prefiro nada a uma montanha de merda.