quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Mercado único

Vivemos dias agitados no que diz respeito ao mercado futebolístico. As movimentações têm sido tão surpreendentes que a malta agradece, para alegrar um bocadinho o espírito. Ainda para mais, depois do "mais-do-mesmo"* em que o início de campeonato se tornou.
(*o FCP ganha, o SLB e o SCP não ganham. O SLB é beneficiado pela arbitragem e o SCP berra contra o árbitro.)
Ricardo voltou ao campeonato português depois de alguns anos em Espanha e Inglaterra. Já tínhamos saudades de ouvir aquele timbre único de voz. Ainda há pouco o vi na TV a falar e não consigo deixar de o considerar uma boa pessoa. É daqueles jogadores que, por mais que queiramos, não conseguimos odiar, ao contrário de um Simão Sabrosa, só para referir um exemplo. Ricardo já não está naquela fase de causar pena - isso foi na altura em que ligava para os programas em direto a queixar-se de perseguição - mas numa fase em que esperamos, com curiosidade, para ver o que vai sair dali. Por mim, desejo-lhe todo o sucesso do mundo contra o SLB e o SCP, e que seja igual a si próprio contra o FCP. E que vá à seleção, como tanto anseia, uma vez que, ao que se sabe, continua amigo de Paulo Bento e fez mais jogos do que o Quim na última época.
De Aveiro vem a bomba do defeso, para já, na minha opinião: Javier Balboa assinou! O ex-ex-craque do Real Madrid, ex-futuro craque do SLB, e atual craque a treinar sozinho, chega ao Beira-Mar, depois de ter sido, um dia, aposta forte de Rui Costa, como mostrava a capa de A Bola há sensivelmente três anos. Creio que esta foi, a par de Freddie Adu, uma das contratações mais badaladas dos últimos anos no emblema do Centro Comercial Colombo. Estou curioso, também, para ver o que vai fazer este moço da Guiné-Equatorial.
De Espanha, vêm notícias que o Granada recebe três jogadores do SLB. Carlos Martins, Jorge Ribeiro e Júlio César. Ou melhor, quatro, porque se fala também em Jara. Carlos Martins disse que estava "muy contento" porque estava na melhor liga do mundo. Lá se foi a grandiosidade do clube do Centro Comercial Colombo. Dizem as más línguas que a súbita colocação dos jogadores no Granada por parte de Luis Filipe Vieira terá que ver com a construção do novo estádio do clube espanhol. Mas eu não percebo a ligação. São apenas as más-línguas.
Outra saída que me enche de espanto é a de Nuno Coelho para o Beira-Mar, depois de ter sido contratado à Académica, há dois meses com pompa e circunstância. O facto de ter passado pelo FC Porto, que não o tinha aproveitado, apimentou a transferência. O próprio Nuno Coelho dizia que "O facto é que nunca me foi dado o devido valor. Segui a minha vida e o que importa é que agora cheguei ao Benfica". Pois é, Nuno. Chegaste, mas já foste. No Beira-Mar dar-te-ão o devido valor, ao lado do Balboa.
Do nosso lado, o empréstimo de Castro parece a solução certa para um jogador que vai ter futuro no nosso clube, e que, por isso mesmo, tem de jogar assiduamente. Em Espanha, não só encontra uma liga muito competitiva, como tem praticamente lugar cativo no onze do Sporting de Gijon. Castro, agora posso dizê-lo, depois de ter sido cético em relação às suas capacidades, vai ser imprescindível no futuro do FC Porto.
Em relação às entradas de Mangala e Defour, quem ler, hoje, a primeira página de A Bola, não vai saber que foram contratados pelo campeão nacional e vencedor da Liga Europa. Pode ser que daqui a algum tempo sejam obrigados a trazê-los para a primeira página... Confiamos sempre na qualidade dos observadores do FC Porto e, neste caso, não temos que duvidar que se tratam de grandes jogadores. A questão, neste momento, é saber quem vêm eles substituir. Se, no meio-campo, é mais ou menos assente que Ruben Micael e Fernando vão sair, na defesa, a incógnita é grande, com Sereno a vir à baila (espero que não o vendam definitivamente, porque acredito muito neste jogador), mas com Rolando e Otamendi também referenciados como tendo muito mercado. Para além disso, nas laterais, parece que temos excedente de jogadores. Digo, parece, porque, por exemplo, Danilo pode jogar no meio-campo (e prefere, segundo o próprio, ainda que aquele tipo de declarações, a "exigir" jogar aqui ou acolá, me soem a um certo vedetismo...) mas, mesmo assim, ficaríamos com Sapunaru e Fucile para a direita e Álvaro, Alex Sandro e Rafa para a esquerda. A possível saída de Álvaro Pereira é talvez, de todas (excetuando Moutinho) a que mais aflige o adepto portista, porque é muito difícil de substituir. A não ser que Alex Sandro revele capacidades compatíveis com o dinheiro que pagámos por ele. E é bem que revele! Aguardemos por mais novidades, que isto está animado.

5 comentários:

Ribeiro DeepBlue disse...

Boa posta, catano!
Concordo com...digamos....97,783% do que escreveste.

Mas lamento. Acho que o Palito sai.
É um (mau) feeling.

E desejo-lhe a melhor sorte do mundo. A ele e ao Falcao que teve um dia não ao fazer aquelas declarações, mas que não apagam tudo o que nos deu.
pelo menos não andou meses a fazer juras de amor e a dizer que gostava de ir treinar um clube Japonês ou Argentino como o outro....

Ribeiro DeepBlue disse...

Por falar em choradinho:
http://www.ojogo.pt/Directo/NoticiaHora_Sporting_futscpassociacaoadeptoscartaavitorpereira_170811_384006.asp


Vou criar a "Associação de Adeptos Contra as Associações de Adeptos que só sabem choramingar pelos cantos".

Agora que temos um "Magala" e um "Carrefour": quem sai?
Apostas.

Marco MT disse...

Tristemete animado. Tá mais que visto que o Falcao e o Ruben vão para o Atl de Madrid. Espero que a carreira do Falcao se eclipse, porque não aceito que jogador nenhum assuma que é uma promoção na carreira tranferir-se para o Atl de Madrid. Do Porto, um jogador de grande classe só pode ver como promoção efectiva na carreira, o Barça o Real, os Manchesters e os Milans. Deu-nos muito, mas nós também lhe demos, e os adeptos mereciam mais respeito. Aliás, este tipo de manobras e de bocas, este mercantilismo cego, está a minar o futebol. Os clubes estão largamente endividados, e um dia a bolha estoura.... Mais tarde ou mais cedo, vão se tomar medidas similares às que foram tomadas na NBA e pode ser que aí se consiga ter um futebol mais equilibrado, mas isso são conversas para outro rosário.... Até lá quem tem bons ovos a qualquer preço é que faz boas omoletes......

Mais nefasto vão ser as tranferências do Alvaro e do Moutinho para o Chelsea. Com as mesmas, quebra-se a espinha dorsal do clube, para alegria do nosso rival e do nosso inimigo e enfraquece-se imenso a equipa, hipotecanso-se a hipotese de fazer uma boa chmapions ( quartos ou meias) e inclusive de ganhar o campeonato. Só espero que os adeptos sejam inteligentes o suficiente para não critica o Vitor Pereira, quando os empates e derrotas surgirem, porque convenhamos que moutinho, alvaro e falcao são insubstituíveis...

O futebol como deporto de paixões cada vez mais me diz menos. Anda-se a reboque da lei cega do cifrão, não se alimentando paixões, não se solidificando ídolos. Os jogadores surgem como mercenários orientados por empresários, que encaixam somas brutais de dinheiro com meras tranferências, sem grande talento arte ou engeno, a não ser a sorte e a matreirice de chegar ao topo com a descoberta bem sucedida de um talento qualquer. Casa vez mais ( Itália, Turquia Alemnha..) se ouvem noticias de jogos combinados para benefício das casas de apostas. Os nossos principais clubes tem 2,3 ou 4 portugueses a jogar, mesmo que como se está a provar no campeonato do mundo de sub 20 existam jovens com valor.... A FIFA é uma das maiores associações mafiosas do mundo, onde centenas de indivíduos nada mais fazem do que andar a viajar pelo mundo em hoteis de 5 estrelas, regando-se com champanhe, putas de luxo e caviar....

A conclusão é que o futebol, como um todo, está podre.

Ah pois disse...

Eu quero lá saber para onde ele vá, desde que paguem. Acho que já passamos a fase de nos pormos em bicos de pés por fornecermos talento aos gigantes da Europa. Isso é uma atitude provinciana, típica da Capital, diga-se de passagem.

Por mim ele que vá para o At. Madrid, e até me ria se o At Madrid fosse campeão dentro de 1 ano ou 2 dois e fosse muito longe na Liga dos Campeões. Não porque gosto deles (nem por isso) mas sim para que muitos que insultam o Falcao hoje tenham que engolir sapos amanhã. E também porque não há nada mais chato e entediante que o status quo actual no futebol europeu.

Sinceramente, não temos um novo campeão europeu desde 1997...

Ribeiro DeepBlue disse...

Marco, isso é um estado de alma.
O qual mudará quando o próximo "Falcao" ou "Lisandro" ou "Lucho" ou "Deco" ou "Jardel" ou "Gomes" ou "Ricardo Carvalho" ou "X" começar a marcar golos.