quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Vinte anos de burrice

Digam-me uma coisa. Estão a ver um treinador a ganhar apenas por 1-0, e a permitir que um jogador que está de saída do clube marque um penalti como prémio de despedida, arriscando que este jogador falhe e o resultado se mantenha num perigoso 1-0? Impossível. Só se for um jovem treinador em início de carreira.

9 comentários:

André Pinto disse...

Bom jogo do no FCP, com James em crescendo, Emídio notoriamente mais acertado e Hulk continuando a desiquilibrar. O meio-campo não esteve fino, mas a pressão alta e velocidade de execução da primeira parte chegou para a encomenda.

Só um pequeno reparo. Friamente, André Villas Boas já deu mais do que provas de que sabe o que está a fazer. Mas, como adepto, estou a ficar um bocado farto de ver a nossa equipa jogar apenas 45 minutos. Por um lado, entendo a necessidade de gerir uma época longa e exigente, mas, por outro,não consigo deixar de pensar que essa opção diminui progressivamente concentração dos jogadores, que principiam a jogar de forma displicente. Ontem, na 2ª parte, a partir dos 65 minutos de jogo, o nosso sector defensivo meteu por vezes o cérebro em ponto morto. Helton não se absteve de fazer as habituais macacadas com que nos presenteia sempre que tem uma noite fácil. Ora, o Nacional é uma equipa fracamente treinada - céus, aquela táctica, com a equipa toda subida, contra uma equipa que tem no ataque Hulk e James - e é bom que entendam que a exigência tem de se manter, sob pena de perderem rítmo de competição. É verdade que o Benfica tem de se esfalfar o jogo todo para golear e a nós basta-nos uma parte na máxima velocidade, mas faltam muitos jogos e adversários mais fortes virão. Por ora, é só.

van d'Alho disse...

Mas um gajo oxigenado a mascar chiclet tem alguma credibilidade?
Nem como alternadeira o que fará como treinador.

miguel_canada disse...

Vinte anos de burrice... literalmente! A mascar palha daquela forma!

alex disse...

... ou um treinador que sabe ter tudo controlado com paixão desde o fim de semana anterior ...
os amigos não falham , mas pelo sim pelo não temos o ...
... joão
saudações portistas

Ribeiro DeepBlue disse...

O ano passado a táctica era expulsar jogadores durante os jogos.
Este ano, ainda melhor!
Expulsa-se antes...

20 anos a massacrar o Português e a mascar de boca aberta.
Ganhou 2 títulos?
E daí? O AVB só tem menos 1.
Por ora...

Mundo Azul disse...

Se ao fim de 50 anos ainda não sabe falar,eu aposto que também não se dá com a escrita, logo seria pedir muito que tivesse sido abonado com inteligência para raciocinar tanto.

http://thebluefactoryofdreams.blogspot.com/

Ribeiro DeepBlue disse...

Acabo de ler que o Bayern recebe anualmente cerca de 47 milhões de Euros pelas transmissões televisivas e o Manchester recebe cerca de 58 milhões.
Em Portugal, país com um mercado publicitário igual à Inglaterra e Alemanha (não, a sério, não se riam...), sem qualquer tipo de crise económica, há um clube que se acha no direito de fazer chantagem de modo a receber 40 milhões anuais.
São capazes de conseguir.
Porque segundo a capa da "A Bosta" de hoje, eles têm lá um "negociador implacável"...
Esse "negociador implacável", que afirmava à boca cheia durante o verão que ninguém saía abaixo da cláusula de rescisão.
Pois não. Com o Di Maria, já vão 2.
Um "negociador implacável" que começa numa clausula de rescisão de 50 milhões e deixa sair o jogador por cerca de metade, mais uns miríficos "prémios por objectivos", que ninguém quantifica (mas, tratando-se deste magnífico "zaguêro", deve ter alguma coisa a ver com dentes partidos ou ossos à mostra).
O Matic?
Deve-se juntar, lá para o verão, aos 2 jogadores que Atlético de Madrid que faziam parte da "negociação implacável" ocorrida aquando da transferência do "Chimão" e que têm jogado com regularidade, semana a após semana (peço desculpa, de momento não me lembro dos respectivos nomes)

A última "negociação implacável" de que me lembro foi a saída do Jajuje do Braga para o Benfica.
O Braga pedia, no início, 700 mil euros.
Após longas semanas de "negociações implacáveis", o Jajuje lá acabou por sair "implacavelmente" por...700 mil euros.
Saudados na altura pela "A Bosta" como uma vitória negocial do "negociador implacável" (Não sei se os títulos eram "Benfica estica a corda" ou "Benfica dá murro na mesa" ou "Ai, ai, ai, que me vou a ele")

Afastem-se pois todos, após o "exterminador implacável" do ano passado, que derrubava os seus adversários a golpes de "chicla" (e como se viu no jogo com o Nacional, mais qualquer coisinha), temos agora o "negociador implacável".

Aguardemos pela próxima "negociação implacável"

Ribeiro DeepBlue disse...

Rui Oliveira e Costa:
"O meu fundo vai para o Dr. Lourenço Pinto, presidente da Associação do Futebol Clube do Porto"....
Brilhante.

cian disse...

Brilhante Ribeiro.