segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Um FC Porto de duas caras

Quando vi a manchete de A Bola - "E podia ter sido pior!" - pensei que se tratava da reportagem da assembleia geral do Benfica. Mas não. Tratava-se, afinal, do desejo reprimido que uma derrota do FCP pudesse ter acontecido. O jornalista da SIC Notícias, ao entrevistar um comentador qualquer, dizia, hoje, sabiamente "Se o FC Porto tivesse perdido ontem em Vila do Conde, nesta altura, o Benfica era líder isolado". Já não se comentam factos que aconteceram. Agora comenta-se situações que não aconteceram, mas podiam ter acontecido. Viva o jornalismo português. Tudo dito.
Eu não pude ver o jogo, mas pelo que me pude aperceber através de comentários de amigos, aquilo foi marcar e descansar. Maicon voltou a ser o Maicon dos primeiros tempos e de quem já nos tínhamos esquecido, e o Rio Ave empatou. Depois, faltou cobertura no segundo golo (acho injusto penalizar Otamendi) e Tarantini deixou Helton atarantado. Quando a imprensa vermelhusca já esfregava as mãos, Jackson Martinez empatou.
A questão que neste momento se põe é esta: qual é o verdadeiro FC Porto, o da chapa 4 em casa, ou o que em três jogos fora, empatou dois, contra Gil Vicente e Rio Ave? Precisamos rapidamente de uma resposta, Vítor Pereira.

4 comentários:

littbarski disse...

A resposta é: os dois. Já foi assim na época passada (um exemplo: ganhámos na Luz e logo a seguir empatámos com a Académica em casa). São típicas do Porto de Vítor Pereira estas quebras de rendimento «inexplicáveis». A primeira vez que conseguimos mais de 3 vitórias seguidas foi já no final da época, em Abril.

dragaovenenoso disse...

Caro guarda, infelizmente deve ser este que vi no sábado. Escrevo pela força da estatística. O tal jogo dos 4 deve ter sido a excepção à regra. Oxalá esteja enganado.

Na época passada enganei-me em parte: o FCPorto foi campeão. Mas no resto não me enganei...

Relativamente ao jogo, o Otamendi tem responsabilidades, sim. Cabecear para a frente da grande área é um erro que os centrais aprendem logo de início a não cometer. Os guarda-redes também aprendem a não socar a bola para a frente da grande área. Erro de palmatória. O Maicon lembrou-se de fazer uma finta num lugar proibido.
E o ataque na segunda parte foi inócuo.

Pode ser que sirva de exemplo para o jogo da liga dos campeões, pois precisa-se de $$. E muito.

G. disse...

Não me parece que o Otamendi tenha assim tantas responsabilidades no lance ao ponto de se lhe chamar "erro de palmatória". Ele cabeceou bem na bola, e apesar de ter ido para a frente da grande área, quantos alívios do mesmo género vemos durante um jogo que não sofrem o mesmo destino: 1º tem o azar de deixar a bola redondinha para o adversário 2º o adversário saca um remate daqueles sem qualquer hipótese para o Helton. Foi sobretudo uma série de eventos muito infelizes. No primeiro golo, há dupla falha defensiva, 1º o Maicon que falha o passe, 2º o Defour que em vez de aliviar a bola tenta fazer a cobertura da mesma permitindo que o Tarantini tenha mais poder de choque e acabe por ganhar a bola. De resto, atitude péssima da equipa, o Moutinho está mt diferente do Moutinho do ano passado e do Europeu. O Lucho estava mais fatigado e menos inspirado que o costume, continuo a questionar o que terá o VP dito ao Atsu que perdeu aquela irreverência e vontade de arriscar passando a ser um jogador que mal recebe a bola parece que queima, passando para trás e para o lado. Há muito trabalhinho para o VP fazer...

miguel_canada disse...

Tu queres respostas do Vitor Pereira??? O proprio Vitor Pereira deve andar a sonhar com respostas que desbloqueiem aquele futebol sofrivel que ele nao e capaz de melhorar.