segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Simples, fácil e aborrecido

Costuma-se dizer que não se deve bater em quem está no chão. Acho que fomos bonzinhos no sábado e levámos o conselho à letra. Arrumámos a questão nos primeiros 20 minutos e depois deixámos o tempo passar. Porque este Sporting mete dó. Porque está a cair num abismo. Porque não se bate em quem já está no chão (acho que já disse isto)
Mesmo a jogar a 60% das nossas possibilidades, dominámos e nunca deixámos o Sporting tomar conta do jogo. Quando a primeira e única oportunidade de golo surge aos 80 minutos (livre do Pranjic) está tudo dito. A equipa e o clube estão a afundar-se, mas há princípios dos quais um leãozinho nunca abdica: queixar-se do árbitro. Por isso na boa tradição sportinguista, o árbitro foi o principal responsável pelo desaire leonino. Nem me vou dar ao trabalho de escalpelizar (gosto deste verbo) os lances dos penaltis, apenas peço que, antes de fecharem portas, nos vendam a preços módicos o Carrillo e o Adrien Silva. Vá, o Insua daria um excelente suplente do Alex Sandro, por isso também pode vir.

2 comentários:

Ribeiro DeepBlue disse...

Fizeram dois remates à baliza em todo o jogo.
6 remates contra 19 do FCP.
45% de tempo de posse de bola.

Conclusão: se não fosse o penalty, tinham empatado 1-0....

miguel_canada disse...

Ahahahahahah Ribeiro! Mas é isso mesmo. A ridícula choradeira leonina entranhou-se-lhes no ADN e agora levará gerações ate se esfumar.
Numa frase: Puta que os pariu!