segunda-feira, 28 de junho de 2010

Asneira da grossa

Ontem finalmente tivemos alguma emoção genuína neste Mundial, um torneio que, salvo raras excepções, tem sido um longo bocejo. A animação inesperada chegou através - de quem poderia ser? - dos árbitros, que fizeram asneira da grossa. Refiro-me mais concretamente aos "bandeirinhas", que avaliaram mal dois lances que, aparentemente, seriam de fácil avaliação.

A Alemanha viu finalmente vingado o lance de 66 contra a mesma Inglaterra. Na altura, a bola não entrou e o árbitro validou o golo. Ontem, a bola esteve bem meio metro dentro, mas o árbitro não deu o golo. Lampard levou as mãos à cabeça, os adeptos ingleses apuparam o árbitro, mas, em boa verdade, a Alemanha foi bem mais equipa do que os súbditos de Sua Majestade. O erro foi muito determinante no resultado, mas algo me diz que os alemães ganhariam o jogo. É impressionante o contra-ataque desta selecção, um grupo muito longe daquele estilo frio e calculista de outros tempos.

À noite foi a vez da Argentina beneficiar de um erro de arbitragem grosseiro (onde é que já vimos isto?). Não consigo perceber como é que um fiscal-de-linha não vê aquele fora-de-jogo. Creio mesmo que é daqueles lances em que o árbitro principal tem obrigação de intervir, pois não havia sequer um jogador entre o Tevez e a baliza. Não está em causa a superioridade da equipa argentina, mas o México estava a jogar muito bom futebol, já tendo inclusivamente acertado na trave. Em termos defensivos, a asneira que permitiu o segundo golo não dava grandes garantias, mas o ataque do México é muito bom (Hernandez é um grande jogador). A um outro nível, continua a irritar-me muito o "espectáculo" Maradona, a sua propensão para se fazer notado no banco...

Quando escrevo este texto, a Holanda já derrotou a Eslováquia, uma das boas surpresas deste Mundial. Só uma pergunta: quantas vezes já vimos o Robben marcar golos como o que hoje marcou? Este é um daqueles lances do Robben que vem nos livros, que toda a gente conhece e testemunhou por dezenas de vezes. Como é que ainda há defesas que permitem um lance assim?

Última referência para os tradutores da SportTV. Acabei de ver o Primeiro-Ministro britânico, David Cameron, a comentar a derrota contra a Alemanha. A certa altura, refere-se ao "third umpire" no cricket, como sendo uma vantagem para o desporto, que o futebol podia aproveitar (a introdução de um terceiro árbitro). Na tradução, surgiu "o terceiro império". Asneira da grossa, senhores da SportTV!

3 comentários:

Ribeiro DeepBlue disse...

E quem é que, de forma despudorada, aparece logo a seguir aos ditos lances? O vaidoso do Rui Santos e a "sua" verdade desportiva.

Estamos todos de acordo que num negócio que movimenta milhões e, mais importante ainda, movimenta paixões exarcerbadas, devem ser criadas as melhores condições possíveis para o decorrer do mesmo sem deturpações externas.
Mas, pergunto:
A tecnologia nunca falha?
Chalenger, Chernobil, Mars Explorer 2, Toyota, iPhone 4, Hubble, são exemplos claros de falhas, apesar de projectos com custos de milhões.
Tecnologia de ponta, sem alternativas, mas que na hora H falhou.
E agora queremos repousar tudo numa bola com alguns transistores e transmissores, que irá levar pontapés durante 90 minutos, e terá...0 falhas!

Apesar de não ser contra por princípio, deixo à consideração do Pobo o que irá acontecer quando o chip na bola falhar, com as imagens a demonstrarem claramente a entrada da bola na balizar, e o chip a dizer que "não, não entrou!".
Nesse dia, as sólidas fundações do novo paradigma de verdade desportiva irão cair pela base.
Irão então pedir mais 12 ou 20 árbitros para validar a informação dada pela bola inteligente. Os quais irão falhar também...

Ribeiro DeepBlue disse...

Mas a notícia do dia é a venda do Di Mialgia ao Real.
Era por 40
Depois 35.
Depois 30 e mais 2 jogadores.
Depois desapareceram os jogadores e já só eram 30 (a Bolha até fez uma primeira página a gritar "A mais cara de sempre". A mais cara quê? Transferência, pois claro!....

Um capa capaz de por qualquer benfiquista inchado de orgulho.

Engraçado no entanto que nas páginas interiores (sim, confesso, abri e li aquela merda...), víamos a lista das mais caras transferências do futebol nacional, e contando com esta pseudo-transferência de 40 milhões, tínhamos qualquer coisa como:

SLB
FCP
FCP
FCP
FCP
FCP
FCP
FCP
SCP
FCP
FCP

Pois. Só que esta lista está mal, continua a ser: FCP, FCP, FCP, FCP and so on....


Sim porque o "fora de série", foi por 25 milhões, um pouquinho mais do que o Paulo Ferreira ou o "banal" Quaresma.

Parece que a seguir vamos ter outra transferência de 40 milhões, a do David Luis.
O Chelsea ja fez chegar uma proposta estonteante de 12 milhões (mais ou menos equivalente a 1 Luisão + 1 Shaefer). Se subirem a parada para 15, é capaz de dar...

Ou não sabiam que a partir do momento em que se antecipam receitas, vendendo uma parte dos passes a Fundos de Jogadores, estes ditos fundos passam a ter uma palavra (a final?) sobre as propostas que chegam para a compra de um jogador?
Os Benfiquistas pensavam : "Ai e tal, nós vendemos 40% do Di Maria a um fundo, mas nós é que temos a batuta e vamos receber a massa toda".

Não, amores.
Foi por 25 milhões, a dividir por umas 10 entidades diferentes.
O "Maior do Mundo" só recebe uma parte...
Quanto? Só Deus e Luis Filipe Vieira saberão responder....

Vitor disse...

Amigo Ribeiro, tens muita (toda?) razão mas, como sabes isso não interessa nada para a carneirada encarnada e os pasquins vão gastar novamente rios de tinta com os astronómicos valores da transferências! O que, vendo bem, até é normal, visto que a última grande transferência do alto dos moinhos foi o "simulão" e é pena na altura não ser obrigatório declarar à CNVM o REAL valor da dita...