quarta-feira, 30 de abril de 2014

Os médios da seleção

E de repente a seleção enche-se de médios. Miguel Veloso tem sido o titular na posição 6, mas há que contar com William Carvalho, que encheu os campos da época futebolística interna. Depois, há Raul Meireles a fazer de Abel Xavier para dar aquele toque kitsch-exótico à coisa. E Fernando, o melhor de todos na difícil arte de tirar a bola ao adversário, mas com vistas curtas no que diz respeito ao ataque. E agora? Agora, como se não bastasse esta malta toda, entra em cena Tiago, titularíssimo do finalista da Champions e provável campeão de Espanha. Que hipóteses terão Adrien, Josué ou Ruben Amorim, por exemplo?

15 comentários:

ALBINO disse...

Bem, quanto ao Tiago acho que não será de levar em conta, porque ele renunciou à selecção há um bom par de anos. Mas, como até o outro que disse ter tomado uma decisão irreversível voltou com a palavra atrás...

guardabel disse...

ALBINO, o Manuel Cajuda falou com o Tiago há um mês e as coisas podem ter mudado...

http://www.ojogo.pt/Internacional/Portugueses/interior.aspx?content_id=3838785

Joao disse...

Tiago basicamente renunciou à selecção por causa de Carlos Queiroz...

Ribeiro DeepBlue disse...

Tenho um palpite que o Fernando não vai ser convocado.
E não que seja melhor ou pior que os mencionados, acho que o lote de jogadores é muito forte.

É um palpite de risco ao meio...

André Pinto disse...

O titular deverá ser William Carvalho, já que sozinho foi metade da equipa do SCP. Sem ele o SCP teria sido a mesma equipa do ano passado, como se viu no triste espectáculo do jogo da Luz.

André Pinto disse...

Agora com mais ponderação: a posição 6 deve ser em função do adversário. Fernando é o melhor a destruir jogo, William Carvalho é melhor na manobra atacante. Esses dois, para mim, são compatíveis no lote global, umas vez que o William também é um excelente a 8 e pode servir de reserva a Moutinho. Acho Adrien e Amorim esforçados, mas claramente segundas opções. Josué não devia ter lugar na selecção. Notem que estamos a falar de carregadores de pianos, sendo o mais criativo Moutinho. Assim sendo, deve apostar-se nos que têm mais qualidade técnica. E aí, Tiago tem uma palavra a dizer.

Zé Luís disse...

"Tiago basicamente renunciou à selecção por causa de Carlos Queiroz... "

Quando o Tiago renunciou o CQ já estava fora da selecção. Renunciou pela balbúrdia, aquilo que os joõezinhos nunca percebem e dão ao casco da asneira.

Quanto à selecção e o Mundial, aquilo é a equipa dos amigos de Paulo Bento, parece que não levam em conta o que PdC afirma... Eu já o disse desde o 1º ano do bentinho aspergido pelos andores do costume.

André Pinto disse...

Não deixa de ser coisa irónica ver o Chelsea de Mourinho sendo eliminado por um Atlético que, na sua contínua superação, entrega em campo e movimentos atacantes, lembra o... FCP de 2002/2003.

Ribeiro DeepBlue disse...

Ontem, ao ver o nacional-benfiqueirismo em todo o seu esplendor, não posso deixar de reconhecer que fiquei incomodado.
Incomodado, não triste.
Porque o que me deixa triste é ouvir Portistas a dizerem que gostava de ter Jorge Jesus a treinar o nosso clube.
Como ainda sou um gajo de princípios e que acha que o nível do treinador define o clube que treina, jamais, em circunstância alguma, gostaria de ver aquele azeiteiro a treinar o meu clube, mesmo com vitórias associadas.
Bom treinador? Sem dúvida. Um bronco, um azeiteiro, um arruaceiro, um vaidoso? Oh yeah baby!

Os adeptos são impulsivos e olham sempre para o imediato.
Pedem que a "direção fale"!
Mas fale, para dizer o quê?
O treinador que pensam escolher?! Os jogadores que estão a avaliar?!
Olha, e eu que pensava que o segredo era a alma do negócio, estava engando. Afinal, os nossos dirigentes deviam vir todos os dias ao Porto Canal (reconhecço, uma aberração) explicar: "Olhem, hoje estivemos a avaliar este jogador da Segunda Divisão Japonesa com nome de Super-Heroi e estamos a pensar contratá-lo".
Eu não quero que falem, quero que trabalhem, primeiro nos gabinetes, para preparar a época escolhendo o treinador e o 2, 3 ou 4 jogadores que reforcem efectivamente a equipa, e depois, dentro de campo com a dose de suor, dedicação e sorte qb (como se viu ontem, também faz parte do jogo).
O paleio, deixemo-lo para quem tanto gosta dele.

E da próxima vez que sentirem vontade de ver Jorge Jesus a treinar o nosso clube, revejam imagens do gajo a bater em jogadores adversários, em polícias, nos próprios adjuntos, e a correr a festejar com a boca aberta e a chicla nojenta quase a cair da boca.
Ganhem juízo, por favor.

André Pinto disse...

Exacto Ribeiro. As análises que por aí se fazem ao sucesso de JJ fazem lembrar a visão económica de José Sócrates. A sua vinda para o Benfica coincidiu com a abertura da torneira angolana e o consequente investimento colossal, mas os adeptos esquecem a igualmente colossal incompetência que aplicou esses biliões em épocas de miséria desportiva. Toda da responsabilidade de Jesus.

Os adeptos encornados também já esqueceram os próprios brados de injustiça pelas as vitórias do FCP, dada a elevada nota artística do futebol praticado pelo SLB de Jesus. Agora é retranca, antijogo, mas enchem o Marquês à meia-final. Também, natural e compreensivelmente, esquecem que venceram um campeonato nacional praticamente sem oposição. Na Liga Europa foi só refugo até à Juventus, que levaram de vencida à moda grega de Otto Rehhagel, mas com mais azeite e tempo queimado, tendo ido a Turim para tudo menos jogar futebol. O benfiquista, que tanto encheu os ares com o "não queremos ganhar de qualquer forma", já não profere o "dê Deus saúde aos meus adversários para que assistam de pé à minha vitória". Até por falta de comparência podia ser. Eu não quero este futebol, nem este treinador no FCP. Quero um treinador que faça uma grande equipa, que jogue um grande futebol e entre em campo para comer o adversário.

Miguel Lima disse...



com toda a soberba que me assiste e inspirado nalguns comentários lampiónicos que por aí se vai ouvindo e/ou lendo, afirmo que eu sou um dos que deseja o jorge "jejum" no nosso clube do coração. não para treinar, mas para nos divertir antes dos jogos, encenando, até à exaustão, o doce ajoelhar da época passada :D

acreditem que pagaria só para o (re)ver :D

num plano mais sério, "gostei" bastante do autocarro do Chelsky e do de dois andares que estacionou em Turim, ontem. será que voltará a estacionar no final deste mês?

abr@ços
Miguel | Tomo II

Ribeiro DeepBlue disse...

A FIFA decidiu pelo Risca Ao Meio.
Não vai.

cian disse...

Sinceramente, perdemos o ano todo a pensar no Fernando e não havia nenhum "perito" no Porto que tenha estudado essa regra nos estatutos da FIFA? a sério? a brilhante organização do Porto chegou a isto este ano?
Por favor, vendam este e o Jackson para o ano, já chega de merda no Porto, um jogador ou está no Porto para ficar ou então pontapé no cú que ninguém o está para aturar, a perca de milhões é maior desportivamente do que nesses negócios da treta da SAD.
E já agora ofereçam o Defour e mais umas brasileiras ao miraculoso clube europeu que o quiser para o ano.

Este ano foi erros atrás de erros, e tiros nos pés em todas as frentes, alguém tem de ser responsabilizado. E ainda perdemos tempo ridículo com processos ao Miguel Sousa Tavares.

Enfim, só falta esperar por D. Sebastião...

miguel.ca disse...

Eu definitivamente tornei-me adepto do André Pinto. Estou sempre em absoluta sintonia com ele.
Jesus teria algum perfil tecnico para treinar o Porto mas zero de tudo o resto. Não o queria nem de borla.
Portugues, gostava de experimentar o Jardim... Um dia.

André Pinto disse...

Miguel, acho que estamos todos em sintonia no actual momento do nosso clube, salvo uns tresmalhados que agora endeusam Vítor Pereira, ou enviesam com Jesus. O Leonardo Jardim, que milita numa agremiação agora mais rival do que sempre, é um treinador muito interessante. Acho que já aqui alinhavei umas tretas sobre o homem. Já mostrou que sabe construir uma equipa, extrair dela o seu máximo potencial e gerir parcos recursos de forma inteligente. O futebol das sua troupes costuma ser interessante, bem ofensivo. O que não faria ele com o fausto posto à disposição de certo catedrático, seu vizinho...