sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Mais o que é que você vai fazerrr dumingo à tardje...

Por causa da comoção nacional do início da semana, nem todos se aperceberam do falecimento do autor da frase (em português do Bráziu...) que serve de título deste post, um senhor chamado Nelson Ned, que fez furor em Portugal nos anos 60 e 70 do século passado (sim, da altura em que o Benfica ganhava campeonatos).

Como é comum na linguagem corrente desta semana, Nelson Ned é um ícone, um símbolo, alguém que tocava o coração dos portugueses, cuja importância transcende a sua área de atividade, um gigante, alguém com uma dimensão humana incomparável (piada fácil, eu sei), etc., etc., mas não consta que o Mário Soares tenha comentado que era um viciado em drogas duras e que bebesse tanto que chegou a dar um tiro na mulher, coisas que, já agora, parecem ser verdade. Também não é provável que que seja candidato a vaga no Panteão Nacional... talvez por ser brasileiro.

Pois bem: mas, para lá de fazer humor negro à moda do Bruno Nogueira, para que serve esta introdução à história da música pimba do tempo em que o Benfica ganhava campeonatos? Afinal, que é que a malta do Pobo do Norte "vai fazer domingo à tarde"? "Bamos à capital do império" visitar o nosso salão de festas, carago!

Por isso, já sabem (e aqui vai mais um toque ácido "à Bruno Nogueira): quando estiverem a ver o jogo no café ou em casa de um amigo benfiquista (portista que se preze não subscreve canais de outras religiões), procurem nas bancadas o gajo que tem um cartaz a dizer "Eusébio, dá-me a tua camisola" - sou eu. Ou talvez não...

3 comentários:

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...



@ Pôncio

podes sempre optar pelo cartaz da moda:

«Eusébio, fiz xxx km só para te ver. dá-me a tua camisola por favor. ou então, um autógrafo»

abr@ço
Miguel | Tomo II

Pentadragão disse...

So espero que no domingo possamos dedicar a vitória ao Eusébio.
F@da-se! Digam lá que não era lindo?

Ribeiro DeepBlue disse...

A melhor homenagem que se poderá prestar ao Eusébio será fazermos algo que se vê muito em jogos tugas, especialmente da selecção, que é serrar uma garrafão de 5 litros de tinto carrascão e colocar na cabeça.