domingo, 6 de dezembro de 2015

Do desperdício ao credo na boca

Eu não sabia o nome do treinador do Paços de Ferreira até às declarações na flash-interview após o jogo de hoje no Dragão. mas foram tantas as alarvidades que saíram daquela boca que quis saber o nome do senhor. Chama-se Jorge Simão e tem graves problemas na interpretação que o seu cérebro faz do que os olhos estão a ver - o que, convenhamos, é complicado para qualquer ser humano, incluindo quem quer ser treinador. Ou então é mais um anti-portistazeco de segunda categoria, daqueles que já trabalharam para a Associação de Futebol de Lisboa e tudo.
O jogo de futebol. Ora, num dia normal, o Paços de Ferreira sairia do Dragão com meia dúzia no saco. Não querendo tirar o mérito ao Marafona, foi pornográfica a forma como Aboubakar e Herrera falharam uns quatro ou cinco golos cantados. O camaronês, então, esteve simplesmente desastrado e, para mim, é já o case-study da época 2015/2016. Como é que é possível que aquele jogador que iniciou a época de forma fulgurante, com golos e números artísticos, motivando os mais rasgados elogios da nação portista, seja hoje um homem sem confiança, apático, sem reação, a falhar golos que até o Raul Jimenez era capaz de marcar? O que se terá passado nestes meses que tenha motivado este abaixamento de forma? Um possível acomodamento face à ausência de competição interna? Osvaldo também vem decaindo de produção com o tempo e parece fadado a seguir o caminho dos compatriotas Esnaider e Pizzi. Não se percebe, sinceramente, e por este andar, teremos de ir ao mercado em janeiro. Sim, porque aquele puto que lidera os melhores marcadores da II Liga deve ser um risco muito grande para a SAD...
Acabámos o jogo com o Paços a chegar à nossa área, mas sem criar uma única situação de golo digna de registo. Acontece que o exemplo do golo pacence pairava no ar e a todo o momento alguma coisa poderia acontecer. Não precisávamos nem merecíamos - até porque jogámos bem na maior parte do tempo - acabar o jogo a sofrer.

6 comentários:

Ribeiro DeepBlue disse...

Ha um novo tipo de adepto no Dragão.
Chama-se Homo Assobiaticus.
Tambem conhecido como Homo Pipocus ou Homo Adeptus Ridiculus....

guardabel disse...

Sempre houve, Ribeiro, sempre houve...

rbn disse...

Até que enfim vi um cheirinho do Herrera da seleção mexicana.

Até que enfim vi um penalty a nosso favor!!!

Incrível como o Paços queimou tempo descaradamente no 1º tempo sem que nenhum deles tenha visto um mísero amarelo, e o soprador de apito Xistra deu apenas 2 minutos de compensação, quando no mínimo seriam 5!!!

Qualquer Marafona da vida quando joga com o Porto, faz a exibição da época, é incrível.

Uma falta de pontaria incrível do Porto, falhando golos inacreditáveis, contra 100% de eficácia dos pacenses: 1 tiro, um melro.

Apesar da vitória, eu continuo achando que Lopetegui não dá mais que aquilo, porque todo o estádio viu, todos os telespectadores viram e ele não viu que desde o início do jogo Aboubakar estava em claríssima noite-não, não acertava umazinha sequer, nem mesmo com a baliza escancarada a meio metro da linha de golo. E ao invés de deixá-lo no balneário no intervalo, deixou o camaronês em campo o jogo inteiro, mesmo errando tudo. Não tinha Osvaldo, suspenso, mas não havia plano B, caso o nº 9 se magoasse???

Até quando esses irritantes erros de passe de dois metros vão continuar?

Os guardanapos da madeira contra nós, nos últimos anos, correm o jogo todo, quase não erram passe, o guarda-redes faz a exibição da época… ah, e basta um mísero remate para marcarem.
Contra o not sportem lisbon é o que se viu hoje: fartam-se de falhar tudo e mais alguma coisa…

reine margot disse...

muito bom Ribeiro, homos sibilus !

(de resto, é ver o Valência no Mestalla a perder e levar chá do Braça, e os adeptos - casa completamente cheia - a não deixar de apoiar... resultado, lá conseguiram empatar! )

André Pinto disse...

Coisa rara, positiva e a registar: demos a volta a um resultado negativo. O Sporting continua a ganhar com muito xixi. O Benfica teve o seu momento Tonel. Seguiu-se o eclodir de uma competição na 2ª Circular, para ver quem disfarçava melhor um penalty por mão na bola, cometido propositadamente. A semiótica chegou à grande área.

Tão interessante, quanto deprimente, este nosso campeonato...

condor disse...

O Ribeiro fez-me rir! Está bem apanhada!
O comportamento do adepto é resultado da falta de confiança que tem na equipa que diga-se ´tira qualquer um do sério com os erros infantis que comete!
Vejam o golo do paços!