domingo, 29 de março de 2015

Falta o Moutinho

A capa de A Bola de hoje, cuja manchete é "Luz para campeões", está incompleta. Falta o João Moutinho. Também ele é português, vai jogar hoje pela seleção, e foi campeão na Luz em 2011 (às escuras e debaixo de água). Como é que foi possível esquecerem-se disto, senhores?

3 comentários:

Miguel Lima disse...

@ guardabel

desculpa a correcção, mas os sabujos não se esqueceram.

eis o que refere o sub-títalo, com as devidas alterações:
«antro da felicidade para tugas e não só: crtriste e cu-então ganharam o título europeu no último encontro que lá jogaram; sérvios integrados num contentor deles regressam "a casa"»

infelizmente o João ainda não foi campeão europeu :D

abr@ço
Miguel | Tomo III

guardabel disse...

Queres ver que os coisinhos foram campeões europeus com os sérvios e eu não me apercebi? :D

Abraço, Miguel.

André Pinto disse...

Lopetegui esteve hoje miserável (mais uma vez). Falhou redondamente nas substituições, de forma clamorosa. Tal como havia aludido em posta anterior, está a regressar a uma pretensa rotatividade com a ideia de pôr toda a carne no assador do campeonato em momento oportuno. Pessoalmente, estou-me um pouco nas tintas para a Taça da Treta, mas custa-me ver o nosso treinador reincidir em disparates que julgava há muito resolvidos. Com um nadinha mais de competência táctica o jogo era nosso: Quaresmas esteve demasiado tempo em campo, Tello tardou muito em entrar, Hernâni foi incompreensivelmente substituído quando estava bem no jogo e criava problemas pelo seu lado.

Enfim, alguns portistas cederão à tentação de querer ver nesta eliminação um facto positivo, que permite à equipa concentrar-se no "filet mignon" competitivo. Não concordo. A Taça da Imperial tem a virtude de permitir manter os níveis competitivos das segundas linhas em alta, o que pode vir a ser muito útil na fase final do campeonato. Sem Taça de Portugal, nem Bejeca, vão-se-lhes as oportunidades mais óbvias de jogarem e com elas muita motivação também se esvai.

Além de achar que, nem que seja o Quadragular de Fornos de Algodres, o FCP tem obrigação de jogar sempre para ganhar.
Hoje jogámos para "não-sei-quê", pode o Lopetegui bem vociferar o que quiser contra o Xistróide do apito.

P.S: Como é possível vender-se publicamente um jogador fundamental da nossa equipa, nesta altura crucial do campeonato? Não me venham com determinismos mercantilistas, porque há bem pouco tempo coisas destas no FCP eram impensáveis.