segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Lopetegui, rua!

Esta manita com que despachámos o Rio Ave era para acontecer daqui a 15 dias. E agora? Mais uma prova de má gestão desportiva de Lopetegui.

5 comentários:

André Pinto disse...

Foi bom, sobretudo porque estes jogos a seguir a partidas da Champions são sempre perigosos. Mas não gostei que tirasse o Brahimi com 1-0 para meter o Ruben Neves, supostamente porque o Rio Ave estava a dominar o jogo. Em vez de reforçar, enfraqueceu o meio campo, pois Oliver teve de ir para a ala e Quintero só entrou 15 minutos depois. Felizmente, temos um plantel com extraordinárias soluções individuais no ataque e o balanceamento ofensivo dos vila-condenses foi-lhes fatal. Dos 3 grandes, tínhamos o jogo mais complicado, porque o Rio Ave não é mau de todo e estaria motivado para contrariar a derrota em Kiev. Um resultado para manter a moral alta actual e cumprir objectivos no campeonato depois de uma deslocação complicada à Bielorrússia. Mas o fartote de golos é exagerado e só quem não viu o jogo o poderá atribuir ao génio de Lopetegui, quando estivemos demasiado tempo perto de sofrer o 1-1 e estando o Rio Ave a dominar as operações no meio campo durante boa parte da 2ª metade.

Vi um bocadinho do jogo dos coisinhos e faço uma observação semelhante: o Benfas tem um meio campo fraquinho, perde constantemente bolas em zonas proibidas, não tem meio campo defensivo (aquele Samaris é do piorio). Mas ganhou o jogo com um momento de classe do binómio que é o seu actual abono de família e um cagalhão em fora-de-jogo de Luisão. O resto foi proporcionado pela falta de competitividade do nosso campeonato, espelhado na pobreza franciscana da equipa de Palserge. As mesmas palavras para o Setúbal de Domingos Paciência: que equipa, que estilo de jogo merdosinho, a fazer lembrar os anos 80, em que muitas equipas se limitavam a atrasar a chegada do primeiro golo frente a um "grande", com autocarro e sarrafa.

Siga a marinha para a próxima vitória.

cian disse...

https://www.youtube.com/watch?v=CMOeZAAMK1Q

Ainda não percebi bem qual é a diferença entre um bom jogador e um bom jogador, mas alguém que me explique...

"O jogador é bom quando a equipa o acompanha" Oliver Torres in FC Porto

ah ok, já percebi!

André Pinto disse...

Isto é de se bradar http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=517311

E agora, onde está a "Verdade Desportiva" dos sacristas impolutos do costume? Se for o FCP é uma adulteração inaceitável da "Verdade Desportiva", seguindo-se o respectivo coro de labregos aos urros na comunicação social, mas tratando-se do Carnidense FC já é mero escrúpulo contratual. Para melhor sublinhar a dimensão de mais uma chiqueirada à benfica, chamo a vossa atenção para a linha em que se lê "apesar de nenhum deles ter ligação contratual ao Benfica". Seguindo a mesma lógica, se estivesse disposto no contrato que teriam de marcar 3 autogolos em jogos contra os coisinhos, tal seria aceitável e exigível. Só tenho pena que não esteja expresso nesse contrato o empalamento imediato por símio dotado, de todo o benfiquista que pronuncie em público as palavras "verdade desportiva" antes, durante e depois do encontro.

Nível abaixo de zero. No Dragão gostava muito de ter chacota desportiva da maralha. Já foi em cartinha ao Pai Natal. Tenho-me portado tão bem...

Miguel Lima disse...



vídeo interessante aqui

a Verdade é como o azeite, car@go! e como a Vingança, também: tarda, não falha e serve-se fria.

abr@ço
Miguel | Tomo II

André Pinto disse...

Não vou falar das razões que ditaram a nossa derrota, porque já aqui muito me alonguei sobre o que está mal nesta equipa do FCP. Uma sequência de vitórias em jogos de baixa exigência, sempre sem brilho na exibição, têm iludido muito portista, porque os problemas continuam lá todos. As deploráveis declarações de Lopetegui no fim do jogo são próprias de um treinador do Castilla e não de um grande clube europeu. De repente, vi Paulo Fonseca falando espanhol.

Assim, esta derrota aumenta grandemente a probabilidade dos seguintes eventos:

1) O Benfica ser campeão;
2) Jorge Jesus rumar ao FCP na próxima época.

Numa palavra: catastrófico.