terça-feira, 31 de julho de 2012

Mocidade portuguesa

Hoje fala-se da apresentação de Nelson Oliveira e Roderick no Deportivo da Corunha. Sim, leram bem, Nelson Oliveira, o maior fenómeno jovem do futebol português dos últimos 20 anos, e Roderick, o novo Mozer (porque tem um penteado muito parecido, diz-se). Os dois, ambos, emprestados.
Entre o conjunto de ideias peregrinas que, ano após ano, tentam fazer-nos crer que o Benfica é o maior está a de que o clube aposta na mocidade portuguesa. Em todas as pré-épocas somos confrontados com a perspetiva animadora de que um ou dois jovens valores saidinhos da cantera benfiquista terão lugar no plantel e serão aposta segura no campeonato. Os pasquins do costume tratam de lançar o isco e a malta vai atrás. A malta, leia-se, os pategos do costume. Por exemplo, nesta notícia de há um mês, afirma-se que "A concretizar-se o interesse, o avançado Ludovic seria mais uma aposta do Benfica em jovens portugueses, depois de Hugo Vieira (avançado, ex-Gil Vicente, de 23 anos) e Luisinho (defesa esquerdo, ex-Paços de Ferreira, de 27 anos)." Ficamos a saber que basta termos um nome com diminutivo para sermos considerados jovens, independentemente da idade. A partir de agora, podem tratar-me por guardabelinho.
Neste mesmo dia, li por aí que Castro finalmente se vai fixar no plantel portista (a bem dizer, ele já se tinha fixado uma vez, mas saiu a meio), uma notícia que me enche de esperança, não pelo facto de se tratar de um jovem português promissor - não ligo a esses mitos de que o que é nacional é que é bom - mas porque lhe reconheço uma evolução de que, sinceramente, no início, não estava à espera. Que fique e que seja feliz é o que todos queremos.

3 comentários:

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

@ guardabelinho

penso que o Castro (também) ficará no plantel pois será mais um lusitano no seu seio e formado no clube - dois factores importantes aquando de se formalizar a lista dos jogadores que disputarão a Champions.

abr@ço
Miguel | Tomo II

Antonio Silva disse...

Já ninguém comenta aqui. Que tristeza. O que é que se passou?

cian disse...

Concordo plenamente com o Castro e outros jovens portugueses do Porto que deveriam estar na equipa principal, creio também que temos um exelente defesa esquerdo, o Alex Sandro, espero que o Alvaro Pereira seja vendido para que o Alex mostre a sua qualidade no flanco esquerdo, temos defesa esquerdo e começo a ficar motivado para esta época que vem aí.