terça-feira, 11 de outubro de 2011

O preço de ser Porto

No dia em que a selecção nacional demonstrou, uma vez mais, que não é uma equipa mas somente um conjunto de jogadores que vão do extraordinário até ao banal, saiu no CM (onde poderia ser?!) a notícia do dia: 2 anos após a palhaçada do túnel da Luz, pela qual já pagamos com juros que se provou serem excessivos para o "crime" cometido, vários jogadores do FCP são acusados pelo Ministério Público pela prática de agressões e, caso venham a ser condenados, incorrem em penas na ordem dos 3 a 5 anos de prisão efectiva.

Existe neste rigor justiceiro algo que me transcende e me espanta. Já sabíamos que a justiça portuguesa tratava diferentemente os crimes ligados ao futebol consoante ocorriam a norte ou sul do Mondego, que um apedrejamento de uma comitiva do FCP era um mero episódio lamentável e que igual situação ocorrida com a seita benfiquista era uma intolerável agressão bárbara. Sabíamos também que a senhora que borra os olhos em lugar de os pintar tinha uma predilecção especial pelo nosso clube e pelos seus dirigentes. Mas nunca pensei que, de entre as dezenas ou centenas de casos de agressões que ocorreram dentro e nas imediações dos campos de futebol nos últimos 2 anos, o caso do túnel da Luz fosse o único que merecesse tratamento judicial.

Está bom de ver, em linguagem futebolística, que existe uma gritante dualidade de critérios. O PC já referiu o caso do Chokolari e do safanão ao jogador adversário, transmitido em directo e com direito a repetições, mas ocorrem-me muitos outros, entre os quais algumas cenas lamentáveis envolvendo a trupe vermelhusca (dirigentes, jogadores, treinador e até capangas em serviço no Aeroporto). Quero com isto dizer que, se algum jogador for detido por dar uns sopapos no calor das disputas futebolísticas (seja ele do Porto ou do Desportivo de Olivais Sul), depois das ausências por lesão, suspensão, atraso na inscrição e afins, os planteis terão que passar a ser construídos de molde a acomodar também as penas de prisão - porque vão ser muitas e costumeiras, excepto se a moldura penal excluir jogadores que atuam de vermelho e com um milhafre ao peito e for condição agravante vestir de azul e branco.

Num país onde as grandes tramóias acabam, invariavelmente, por passar incólumes graças a expedientes de arrasto e consequentes prescrições, onde um trafulha que foi condenado foge para um país da UE e ali vive principescamente sem que seja extraditado, onde um padre pedófilo escapa para o Brasil com a maior das facilidades e só a arraia miúda vai dentro, as nossas autoridades não encontram melhor finalidade para o seu precioso tempo que não seja acusar alguns jogadores da bola (por mero acaso, do FCP...) de terem agredido uns seguranças do clube adversário, ameaçando com penas de 5 anos.

Só para termos a noção desta enormidade, relembro as penas de um caso tristemente célebre, que envolveu alguns senhores da mouraria:
* Carlos Silvino 18 anos;
* Carlos Cruz 7 anos;
* Ferreira Dinis 7 anos;
* Jorge Ritto 6 anos e 8 meses;
* Hugo Marçal 6 anos e 2 meses;
* Manuel Abrantes 5 anos e 9 meses.
Ou seja, exceptuando o bronco de serviço e mais pobretanas dos condenados, as penas atribuídas por múltiplos crimes sexuais cometidos sobre crianças e jovens adolescentes desprotegidos são muito semelhantes às que vão enfrentar 5 jogadores da bola que se terão passado dos carretos num ambiente adverso e agredido uns senhores que, por certo, se terão dirigido a eles em termos muito respeitosos e afectuosos.

Que a comunicação social nos trate de maneira diferente, acho miserável mas percebo o que os move: dizer o que interessa ouvir aos 6 milhões de otários. Que a justiça desportiva se incline quase sempre para norte, repugna-me mas o prejuízo fica circunscrito ao fenómeno futebolístico. Mas quando a polícia, o Ministério Público e mais seja lá quem for pago com os meus impostos, alegadamente ao serviço do Estado de Direito que é suposto ser Portugal, se empenha neste tipo de palhaçada, então o caso é grave. Não estamos a falar de futebol - está em causa a forma como o Direito é selectivamente aplicado. E quem move estas montanhas por uma causa futebolística é capaz de muito pior para fazer valer outras causas.

5 comentários:

Ribeiro DeepBlue disse...

A Justiça é cega?
Não, só um bocadinho vesga.

Brilhante post.

dragaovenenoso disse...

Admira-me como ninguém é capaz de perguntar ao PGR como existe um funcionário do estado a perder tempo com esta treta quando existem tantos processos em riscos de prescrever. OBVIAMENTE que há interesse em proteger esta corja de vampiros que se alimenta dos nossos impostos.
Esta notícia, sim, era daquelas que devia conduzir a um levantamento público e pedir satisfações sobre o dinheiro dos contribuintes: onde se anda a gastar e como. Vergonha!

Lucho disse...

1-Caso moretto
2-Tunel de braga
Estes são só dois dos muitos casos que não tiveram pernas(colhoes) pa andar...ninguem os teve no sitio pa fazer alguma coisa.
ja me começa é a parecer que isto é uma tentativa continua de dar cabo do porto quando ja se sentem ameaçados..Passo a explicar:
em 2004/2005 ganharam o campeonato e enfiaram com o processo do apito dourado c om toda a pompa e circunstancia e mediatismo,suspeitou-se do veiga e do viera e calaram-se,claro depois de ja terem vencido o campeonato.
em 2009 suspenderam o hulk e o sapunaru em 6 meses, ganharam o campeonato e ao fim veio alguem dizer que afinal só eram 4 jogos.este ano pensam que teem uma grande equipa, o porto anda a dar cabo da vida ao benfica,e sentem-se ameaçados por estarem perto do primeiro lugar e o que é que fazem=?toca a inventar mais uma historia para ajudar o benfica a ser primeiro.e garanto que se ainda esta epoco os jogadores do F.C.Porto forem punidos e eles vencerem o campeonato voces vão ver como no fim afinal as penas eram diferentes alem de mais leves...
acredito na raça azul e branca e acho que quem esta a defender o porto neste caso faça referencias a igualdade de casos passados efectuados por outros sem termo de punição.o livro de igualdade dos direitos humanos para alguma coisa serve, se bem que est palhaçada (por tudo o que se tem visto)não vai dar em nada mas enfim....
Porto sempre Há 118 anos a ser melhor que todo o mundo

reine margot disse...

Já venho tarde fazer o comentário, mas ainda assim : - muito bem escrito!
Depois de tudo, um ministério público que se envergonhou no caso Casa Pia, e em tantos outros casos, como os das escutas ao PGR, apoia-se agora numas imagens miseráveis- sem som- para acusar os jogadores do porto, e defender profissionais de segurança, que os jogadores teriam, com certeza, ignorado não fora a forma como foram abalroados pelos ditos.
Como diz, e muito bem, não nos resta senão estar alerta para os outros poderes que há em portugal...

ps: talvez não seja o Direito, mas a Justiça, o termo certo...

Miguel disse...

... Agora percebi o sorriso cavalar do Rui Seboso! A Olhos Borrados lá deu uma caixa ao Seboso...
Agora é que a Pinhão vira homem e tem um orgasmo cerebral...