segunda-feira, 20 de abril de 2015

Quem faz de Danilo?

Ricardo-Maicon-Marcano-Indi.
Será este o quarteto defensivo amanhã em Munique? Ou haverá uma surpresa no lado direito?


3 comentários:

André Pinto disse...

Ricardo? Ricardo? RICARDO?


A não ser que o Bayern troque o seu plantel todo pelo do Moreirense em tempo record, não acho que seja adequado ter um lateral virado quase exclusivamente para o ataque e cujos movimentos defensivos no corredor ainda estejam em fase de formação. Talvez um dia, depois de a sua conversão estar completa, Ricardo venha a dar um bom lateral, mas essa jornada não será com certeza frente ao Bayern. Se Lopetegui optar por Ricardo, estarei sempre a pensar na famosa adaptação da ovelha choné a lateral esquerdo e os consequentes resultados em certas cloacas avibundas.

A opção óbvia e inteligente é Ruben Neves. Não esperemos subidas acutilantes por aquele lado, mas teremos critério na ocupação dos espaços, boa qualidade de passe na transição e pulmão infinito.

Maicon do lado esquerdo oferece algumas garantias, mas prevê-se um jogo em que vamos jogar apenas no erro, porque os extremos praticamente não terão apoio.

São 90 minutos de heroísmo que se pedem aos nossos jogadores.

reine margot disse...

a não ser que haja um gajo muito bem treinado, em segredo do Olival, ou joga o Ricardo...

espero é que, jogue quem jogar, estejam menos nervosos que eu...

André Pinto disse...

De repente, quando é o FCP a ter um vitória merecida num jogo frente a um colosso, a nossa comunicação social torna-se um exemplo de prudência e ponderação. Os avisos à navegação são inúmeros constantes, e até em tom de quem deseja o mal que pretende acautelar.

Que contraste, senhores!, com tudo o que se pareça com uma exibição razoável do Benfica em qualquer jogo europeu! Os priapismos, os embandeiramentos em arco quebrado, as loas pseudo-gloriosas, tudo se transformou em sibilinos avisos de que podemos estar perto de ser sodomizados. O propósito é só um: fazer esquecer rapidamente o momento de classe que foi a primeira-mão.

Que os nossos saibam que nunca jogam unicamente com o adversário que apanham pela frente no relvado. Jogam contra esses e contra os bardamerdas, que mal podem sair à rua sem cotoveleiras.

Eu acredito que podemos vencer e temos argumentos para vencer. E só pode estar nesta situação quem antes venceu. Portanto, vamos a eles!