segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Mais uma queda

A última coisa com que os portistas se deviam preocupar, neste momento, é com a suposta "traição do Tó-Zé". Sinceramente, custa-me ver algumas opiniões sobre esta questão, como se passasse por aí parte da justificação para o nosso empate. Isto é conversa de tasca que só serve para criar ruído à volta da equipa e alimentar o lixo jornalístico que abunda por aí - de que o Record é o seu máximo expoente. A mim, isto causa-me tanta confusão quanto o dragão tatuado no braço do Tello. Ou seja, nenhuma.
O que me parece importante, nesta altura, é tentar perceber quando é que Lopetegui vai assumir que Adrián Lopez falhou (e está a falhar) no FC Porto. Quando é que o treinador vai perceber que, não obstante o valor pago pelo jogador, ele funciona como um corpo estranho na equipa, é uma peça com defeito na engrenagem que tão boa conta deu de si nos últimos jogos. Quando é que vai perceber que toda e qualquer adaptação do modelo de jogo em função de Adrián está votada ao fracasso.
Há quem diga que este era - ou é - um campeonato fácil de ganhar: os coisinhos na ressaca das vitórias do ano passado, com um nível exibicional bem abaixo do esperado; os lagartos a constituírem-se como um flop a toda a prova, apesar da cagança do seu presidente. E nós? Com um plantel sobre o qual já nem vale a pena falar, mas com um treinador que, apesar dos méritos que lhe reconheço, insiste em dar tiros nos pés em alturas decisivas. Um custou-nos a saída de uma competição. Este custa-nos o afastamento em relação ao primeiro e queda para terceiro, numa altura em que a retoma era evidente. E logo num campeonato em que o líder não joga um caracol e vê a estrelinha arbitral estender-lhe pequenos tapetes vermelhos que lhe vão abrindo caminho até ao objetivo pretendido. Até quando vamos ficar a olhar de baixo?

3 comentários:

André Pinto disse...

Quando se pensava que estávamos na senda a estabilidade, com tendência para melhorar, Lopetegui troca-nos as voltas, tornando a reincidir na introdução de um fulano que não tem jogado, ninguém sabe por que carga. Eu não gosto do Lopetegui. Mas quem gosta, faça o favor de explicar como se chamam os que insistem nos mesmos erros vezes sem conta. Na minha terra são os "imbecis".

E Quintero no banco. Bardamierda.

guardabel disse...

Quintero esteve, segundo o treinador, limitado fisicamente. Ainda assim, era fácil. Oliver de início e a fórmula do costume.

Marco Teixeira disse...

O Bruno de Carvalho quer mimetizar o Pinto da Costa, seguir-lhe em pleno as pisadas, inclusive assumiu-se como profissional a tempo inteiro no SCP, mas não tem estaleca e nenhuma categoria para tal. O Pinto da Costa, em circunstância alguma atacava a equipa como ele o fez. É um erro de gestão básico. Se ele tinha alguma coisa a dizer, dizia-o internamente. Imagino o Nani, com o seu efo imenso, a pensar.... "olha-me este..." Pumba, já deu o troco, e é lindo ver empregados a trocar galhardetes com o patrão. Dá uma imagem boa da "empresa". O que me f*** é o FCP ter dado um balão de oxigénio enorme a este SCP, com a eliminação em casa para a Taça. Não fosse isso, aquilo já estava de pantanas. Enfim.

Porto

Voltamos à merda de sempre. Estes jogadores fazem uma exibição de encher o olho com o Bilbao, que pode não estar grande coisa, mas a jogar em casa nem ao Barça e ao Real facilita a vida e com o Estoril, vindo da Rússia, um dia mais tarde, relaxam.... Para além da LEgionella, temos outro agente patológico, cujo nome também começa por L, ou seja, Lopetegui. Causa confusão mental, falta de discernimento e dificuldade em tomar duas vezes seguidas a mesma opção, mesmo quando esta se revela a mais ajustada aos olhos de toda a gente. Primeiro tratamento é repetir 1000 vezes ao dia "equipo que gana no se mueve". Caso não mostre melhorias, férias por tempo indeterminado na Costa Cantábrica.

Uma nota. Caso fosse o FCP a beneficiar das ajudinhas dos galináceos, teríamos debates homéricos sobre corrupção, apitos, comentadores com as vistas raiadas a sangue vociferariam contra o sistema, o Pinto da Costa, esse agente do mal culpado pela podridão do futebol português. Assim, tudo calminho. O clube do regime vai à frente, não se passa nada. São erros que acontecem a todos e no fim todos serão igualmente beneficiados. Amen.