segunda-feira, 11 de março de 2013

O estado das coisas

Há que reconhecer que o panorama não está muito animador. Com o nível baixo que a maioria das equipas do campeonato apresentam, é muito difícil que o Benfica perca pontos até ao jogo do Dragão. Aquilo que ainda pode ser disfarçado com uma defesa certinha ou um autocarro competente, não tem escapatória possível com ataques sofríveis. Falta poder de fogo a 90% da equipas portuguesas e, ontem, com o Gil Vicente, tivemos mais uma evidência disso mesmo.
Nós, sem o onze titular em forma, temos alguma probabilidade de voltar a perder pontos. Nesta altura, gostaria que a SAD refletisse seriamente sobre o estado a que chegou um plantel que muito prometeu, mas que, vistas as contrariedades a que já foi sujeito, se revela curto e, pior do que isso, desequilibrado em termos de qualidade.
Neste âmbito, e apesar de o seu futebol, na minha opinião, não ser melhor do que o nosso, continuarem a beneficiar da proteção de todos os anjos, incluindo os de preto, há que reconhecer que o Benfica trabalhou bem a constituição do seu plantel, principalmente no ataque. Ora, um candidato ao título tem de ter muita preocupação com o ataque. O FCP, na minha opinião, preocupou-se em demasia em garantir uma boa estrutura defensiva - que, realmente, tem - mas descurou aquilo que traz vitórias, golos: jogadores em qualidade e quantidade suficiente, no ataque, para não permitir oscilações de rendimento. E já não falo do meio-campo, onde, face à curva descendente em que Lucho parece ter entrado na segunda volta, uma lesão de João Moutinho é catastrófica.
Eu também acredito que vamos ganhar ao Benfica na penúltima jornada. Mas, infelizmente, também desconfio que vamos perder mais pontos noutros jogos. Se assim não acontecer, espero que me lembrem este texto quando festejarmos o tri.

1 comentário:

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...


off-topic

caro 'guardabel, caríssimas(os),

no fundamental:
hoje, todos temos que estar Unidos em torno da nossa equipa do coração.
a Garra, o Querer e a Vontade em pretender Vencer terão que estar presentes no La Rosaleda - estádio que, acredito, logo mais será uma filial do nosso teatro de sonhos azuis-e-brancos (o nosso Estádio do Dragão).

certamente que seremos Porto!, car@go! :D
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
Miguel | Tomo II